A 'leoa petebista' bolsonarista: conheça a substituta de Roberto Jefferson no PTB

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·4 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

RIO – Vista por colegas de partido como a “voz de Roberto Jefferson enquanto ele estiver preso”, a vice-presidente do PTB, Graciela Nienov, assumiu o papel de guardiã do posto do ex-deputado e presidente da legenda, após sua prisão por determinação do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF). "Graci", como é conhecida, se define como “leoa petebista, bolsonarista, conservadora, cristã e patriota”, em suas redes sociais, e integra o PTB há pelo menos uma década.

Jefferson demonstrou sua confiança na vice em uma mensagem de voz enviada a seus correligionários, enquanto esperava a chegada da Polícia Federal para efetuar sua prisão, ocorrida na última sexta-feira. Além de xingamentos e ataques a ministros do STF, o presidente da legenda indicou quem daria as cartas com sua detenção.

– Respeitem a Graci. Ela é a vice do PTB. Ela é meu braço direito. Confio na Graci, (ela) tem levado o partido a partir da base. Está me ajudando a construir o PTB. Peço que prestigiem a Graci – disse no áudio o petebista, que foi preso por suposta participação em uma milícia digital de ataques à democracia.

A escolhida por Jefferson para cuidar da legenda e ser sua pupila é uma catarinense de 39 anos, militante do partido desde jovem, quando foi presidente da juventude do PTB. A identificação com o partido e proximidade com seu chefe é exemplificada em uma foto de 2011, publicada em suas redes sociais, que mostra Graciela e Roberto juntos num evento partidário no túmulo do ex-presidente Getúlio Vargas – fundador do partido e hoje renegado pelo programa do partido em meio a sua guinada ao bolsonarismo.

Logo após a notícia da prisão de Jefferson, Graciela anunciou em suas redes sociais que o petebista havia pedido apenas uma coisa à sigla antes de sua prisão: a fidelidade ao presidente Bolsonaro.

“A única coisa que Roberto Jefferson me pediu, nesse curto tempo que estarei tocando os trabalhos do PTB, foi o apoio incondicional ao nosso presidente Bolsonaro. E assim farei, com toda minha garra de leoa conservadora”, afirmou.

Após sair da juventude petebista para presidir o PTB Mulher, projeto voltado para ala feminina do partido, Graciela foi eleita vice-presidente nacional do PTB, como a candidata de Jefferson, em novembro de 2020. Na eleição ocorrida de forma virtual por meio da plataforma Zoom, a executiva partidária estava reduzida dos então 90 membros para apenas 33 votantes.

Graciela e o PTB não retornaram aos pedidos de entrevista feitos pela reportagem do GLOBO.

Ataques a ministros do STF

Em suas redes sociais a catarinense que se tornou pupila de Roberto Jefferson se mostra alinhada aos ideais bolsonaristas. Pede o voto impresso, faz ataques à mídia, à esquerda e postagens contra o STF e o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), responsável pelo inquérito contra Jefferson.

Em algumas postagens, ela já chamou ministros da Suprema Corte de “tiranos” e pediu a liberdade do deputado federal Daniel Silveira (PTB-RJ), outro político preso por atacar ministros do STF e defender a volta do AI-5.

Ela também aparece em várias publicações ao lado da filha de Jefferson, a ex-deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ). Ao GLOBO, Cristiane afirmou que por enquanto seu pai segue como presidente do PTB, mesmo estando na prisão, e que portanto não falaria sobre a possibilidade de Graciela assumir o comando da legenda.

Graciela Nienov também atua como recrutadora de quadros políticos para o partido e já participou da filiação de nomes como a ativista Sara Giromini, o ator Thiago Gagliasso e o ex-senador petista Delcídio do Amaral. Ela também faz campanha na internet para que a secretária de Gestão do Trabalho do Ministério da Saúde, Mayra Pinheiro, conhecida como “capitã cloroquina”, entre para as fileiras petebistas.

Após a prisão do presidente do partido, Graciela convocou líderes regionais do PTB para um encontro em Brasília. Em pauta estará a briga para a soltura de Jefferson. A presidente do PTB no Paraná, Marisa Lobo, uma das lideranças que participarão do encontro, exaltou a atuação da vice petebista.

“Chegando em Brasília, muito trabalho aqui com a presidente em exercício, a voz do Roberto Jefferson enquanto ele estiver na prisão. PTB unido. Aqui é conservadorismo Raiz, é luta contra a ditadura da toga”, postou Lobo numa rede social com as tags "#BobJeffLivre" e " #BolsonaroOrgulhoDoBrasil".

Apesar de mais de uma década circulando no mundo político, ela ainda não foi candidata a cargos públicos. Mas não esconde a vontade: recentemente compartilhou em seu perfil a publicação de um blog petebista que diz que Graciela é cogitada para candidata a deputada federal pelo Distrito Federal. Até lá, sua maior missão é brigar para livrar Roberto Jefferson da prisão e levar a ficha de assinatura de filiação do PTB ao presidente Jair Bolsonaro.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos