Libertadores: Gabigol, do Flamengo, pode virar o novo 'Artilheiro das Decisões'

·2 min de leitura

Gabigol já está eternizado na história do Flamengo pelos 103 gols, e especialmente pelos dois que levaram o time ao título da Libertadores após uma virada em três minutos em 2019. E é exatamente aquela partida que ao mesmo tempo motiva e pesa sobre os ombros do jogador antes do duelo com o Palmeiras. Se for decisivo novamente, o camisa nove pode se tornar o novo "Artilheiro das Decisões".

Aos 25 anos, Gabriel tem a chance de não só consolidar sua idolatria com o bicampeonato da Libertadores. Mas entrar de vez no panteão dos grandes craques que escreveram as linhas mais nobres da trajetória do clube. Zico decidiu a Libertadores em 1981 também com dois gols. E Nunes marcou duas vezes na vitória de 3 a 0 sobre o Liverpool, no Mundial daquele ano. O centroavante ainda foi o responsável pelo gol do título brasileiro de 1980.

Com os 21 gols marcados na competição sul-americana, Gabigol já superou em cinco os números de Zico, que tem 16. No Flamengo, desde 2019 o atacante é tido como um atleta que gosta de momentos decisivos. Que não treme e cresce nos jogos grandes. Na semana que antecede as grandes partidas desde que chegou, costuma exibir semblante confiante e passa segurança aos demais companheiros e membros da comissão técnica.

Em 2019, o ambiente era de tensão em Lima, no Peru. Gabigol manteve a tranquilidade de costume, e ainda quebrou o protocolo na hora do jogo ao passar a mão na taça. A irreverência se mantém mesmo em momentos de muita pressão. Mas na ocasião o camisa nove não conseguia desenvolver seu melhor. No intervalo, mostrou como é querido pelo grupo e recebeu apoio de todos, dizendo que ele faria os gols da vitória.

Recentemente, Gabigol chegou a ficar nove partidas sem marcar, seu maior jejum no Flamengo. Mesmo assim, atravessou a má fase com serenidade e dedicação. O período coincidiu com a última convocação para a seleção brasileira, na qual não foi bem. A liderança em momentos ruins, contudo, é um traço de seu comportamento. Mesmo de pouca idade, chama a responsabilidade e costuma "dar a cara à tapa" na hora decisiva.

Foi assim depois da eliminação para o Athletico-PR na Copa do Brasil, há um mês. "A gente sabe que tem que melhorar. Não será uma derrota que vamos explodir tudo. Essa é minha primeira eliminação em mata mata pelo Flamengo. Temos que focar na final da Libertadores", declarou. Ao sair de campo, um torcedor jogou um copo em seu rosto. Na ida para casa, ainda teve que apartar xingamentos contra seus familiares. No dia seguinte, protestou contra a torcida do Flamengo

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos