Licença pet: conheça a folga para 'pais de pets'

A licença ajuda na adaptação do animal na casa nova (Getty Image)
A licença ajuda na adaptação do animal na casa nova (Getty Image)
  • Companhias concedem o benefício aos colaboradores que adotam pets

  • A ideia é ajudar o bichinho na adaptação com o novo lar

  • Licença também visa incentivar a adoção de gatos e cachorros

Uma treta antiga circula pela internet: é justo dizer que uma pessoa é mãe ou pai de pet? Embora não exista em consenso sobre a discussão, quem adota um bichinho sabe que o melhor amigo precisa de um tempo para se adaptar à casa nova.

É por isso que algumas empresas decidiram oferecer aos funcionários a "licença pet". O benefício oferece a oportunidade para que o tutor se afaste do trabalho para ajudar o animal a se ambientar após a adoção.

A modalidade foi criada pela loja de artigos animais Petz em 2021 e ganhou a adesão de outras companhias. A ideia é promover o bem-estar do pet, além de fortalecer os laços entre os bichinhos e os tutores. A rede de loja indica que mais de 50 funcionários do grupo já puderam utilizar o benefício.

A operadora de telefonia Vivo também aderiu à iniciativa. A corporação alega que essa é uma forma de estender o cuidado e a atenção aos animais, além de estimular a adoção de animais.

Apesar de cada organização definir como será o regulamento dessa prática, o principio costuma ser o mesmo. Quando um colaborador adota um gato ou cachorro deve notificar o RH da empresa para aderir à licença. É preciso apresentar a documentação que comprova a iniciativa, como por exemplo um certificado emitido pela ONG.

Depois de comprovar a chegada do novo integrante da casa, é só aproveitar a folga para criar laços com o novo morador da casa.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos