Licenciada da Comlurb, MC que bombou nos anos 2000 vence depressão e anuncia álbum

Silvio Essinger
Acantora de funk MC Deize Tigrona

No começo dos anos 2000, Deize Maria Gonçalves da Silva, a Tigrona, roubava a cena do funk brasileiro falando sobre sexo de forma direta e franca. A ex-empregada doméstica emplacou com hits como “Injeção” e “Aqui pra vocês”. O sucesso indicava um futuro brilhante, mas uma depressão a fez abandonar palcos e turnês no fim da década. Agora, aos 40 anos recém-completados, em paz consigo mesma e licenciada da Comlurb (onde foi trabalhar como gari há cinco anos), Deize Tigrona está de volta com a música “Vagabundo”. É a primeira de um álbum que ela promete lançar este ano.

Pioneira entre as mulheres num estilo que no meio tempo projetou as estrelas femininas do pop Anitta e Ludmilla, a MC retorna com um funk tão picante e explícito quanto antes. Casada há 24 anos, a rainha do funk erótico (que em 2019 voltou a excursionar pela Europa) não descuida da família, formada com o marido Rafael e os filhos João Rafael (de 11 anos), Jessica (13) e Joice (17). Nesta entrevista, ela conta sobre seus altos e baixos e sobre o retorno ao show biz.

Leia aqui: http://oglobo.globo.com/cultura/2274-deize-tigrona-funk-era-uma-coisa-so-de-favela-hoje-ele-faz-girar-capital-nao-vai-acabar-24162140