Líder da banca evangélica que se envolveu em briga tem CNH suspensa

O ex-deputado Eduardo Cunha e o deputado Hidekazu Takayama em evento em Brasília (Daniel Castellano/Gazeta do Povo/Futura Press)

Envolvido em uma briga de trânsito no fim de semana, em Curitiba, o deputado federal Hidekazu Takayama (PSC-PR) não tinha licença para dirigir. Ele estava com a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) vencida desde novembro de 2017 e também tinha o documento suspenso por uma sequência de multas de trânsito.

Segundo o jornal Gazeta do Povo, o líder da bancada evangélica no Congresso e pastor da Igreja Assembléia de Deus cumula 18 multas entre 2014 e 2017. Entre as multas, 16 foram em Curitiba, uma em Cascavel e outra em uma rodovia.

Onze das infraçōes foram por excesso de velocidade: dez em até 20% acima do limite e uma por excedê-lo em até 50%. Duas multas foram por estacionamento rotativo e as outras foram por estacionar em local reservado para pessoas com deficiência, trafegar sobre a calçada, circular em faixa de ônibus, avançar o sinal vermelho e utilizar o celular ao volante.

Embora tenha recorrido das multas, que somaram 85 pontos na carteira de motorista, Takayama não teve as justificativas aceitas.

A briga de trânsito que ocorreu no sábado teria se originado após o deputado deslocar o carro para o lado ao emparelhar com um caminhão que ocupava mais espaço que a pista. Ao mudar a direção, Takayama teria atrapalhado um terceiro motorista que, incomodado, tentou fechá-lo.

Com o início da confusão, Takayama e o outro motorista desceram o carro e passaram a discutir. O homem chegou a chutar a porta do veículo do deputado, que afirma ter registrado um boletim de ocorrência sobre o caso.

O parlamentar alega ter se tratado de uma discussão verbal, enquanto o motorista, identificado como dono de uma pizzaria, afirma ter sido agredido pelo deputado com um soco no rosto.

“Eu dirigi com a carteira suspensa sim… isso não é crime. É infração de trânsito”, disse Takayama ao jornal por meio de nota.