Líder da bancada evangélica pretende manter oposição a Lula

Líder da bancada evangélica, o deputado Sóstenes Cavalcante não quer diálogo com Lula. Foto: Reprodução / Cleia Viana / Câmara dos Deputados.
Líder da bancada evangélica, o deputado Sóstenes Cavalcante não quer diálogo com Lula. Foto: Reprodução / Cleia Viana / Câmara dos Deputados.

Resumo da notícia:

  • O líder da bancada evangélica, deputado Sóstenes Cavalcante, não quer pactuar com Lula;

  • A senadora Eliziane Gama foi uma das interlocutoras escolhidas para conversar com o líder do grupo;

  • Aliados de Lula na bancada evangélica acreditam que Sóstenes cederá ao diálogo com o tempo.

O líder da Frente Parlamentar Evangélica no Congresso Nacional, o deputado Sóstenes Cavalcante (PL-RJ), não quer dialogar com o presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Segundo a coluna de Guilherme Amado, no Metrópoles, aliados do petista tentaram mediar a comunicação entre os dois, mas o deputado está determinado a ser oposição ao petista na Câmara.

A senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA), membro da bancada evangélica, foi uma das interlocutoras escolhidas para conversar com o líder. Ao longo da campanha eleitoral, ela foi uma das figuras fundamentais na ponte entre Lula e o setor, assim como a deputada eleita Benedita da Silva (PT-RJ).

Cavalcante é pastor na Assembleia Vitória de Cristo, ministério da Assembleia de Deus, cujo líder é Silas Malafaia, apoiador de Jair Bolsonaro desde a última eleição, em 2018.

Contudo, os aliados do petista esperam que o líder ceda ao diálogo com o tempo. Uma das principais prioridades políticas do PT é a reaproximação com os evangélicos.

O mandato do deputado como presidente da bancada acaba em fevereiro do ano que vem. Desse modo, a falta de interlocução com o governo poderá afetar sua permanência no posto.

Enquanto isso, o deputado Cezinha de Madureira (PSD-SP), que presidiu a bancada antes de Cavalcante, já se movimenta para construir relações com o governo eleito.

Lula volta a São Paulo após período de descanso

O presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) retornou a São Paulo no final da noite do último sábado (5) após passar quatro dias de folga na Bahia ao lado da esposa, a socióloga Rosângela da Silva, conhecida como Janja. A informação foi divulgada pela assessoria de imprensa do petista.

Na próxima segunda-feira (7), Lula vai participar oficialmente das reuniões para a transição de governo. Depois da eleição, ele compareceu a encontros com o núcleo duro de aliados por dois dias.