Lideranças indígenas elogiam tema da redação do Enem

São Paulo , SP, BRASIL, 13-11-2022: ENEM-SP - Candidatos que farão a primeira prova do Enem neste domingo (13), aguardam a abertura dos portões na Unip, da Rua Vergueiro. (Foto: Bruno Santos/ Folhapress)
São Paulo , SP, BRASIL, 13-11-2022: ENEM-SP - Candidatos que farão a primeira prova do Enem neste domingo (13), aguardam a abertura dos portões na Unip, da Rua Vergueiro. (Foto: Bruno Santos/ Folhapress)

Lideranças indígenas comemoraram nas redes sociais o tema da redação do Enem deste ano, que pediu aos candidatos para escrever sobre os "Desafios para a valorização de comunidades e povos tradicionais no Brasil".

O Enem começou neste domingo (13). O exame recebeu nesta edição o menor número de inscrições em 17 anos. Desde o início do governo Bolsonaro, alunos mais pobres, de escolas públicas, pretos e pardos foram os mais excluídos da prova.

Nas redes sociais, a deputada federal eleita, Sônia Guajajara (PSOL-SP), comentou que os direitos indígenas têm sido violados no país desde 1500, mas, sobretudo, nos últimos quatro anos.

"Desde a invasão em 1500 nossos direitos tem sido violados, sobretudo, nos últimos quatro anos onde declaradamente a atual gestão, que já derrotamos nas eleições, executava sua política de extermínio dos povos originários e comunidades tradicionais", disse Guajajara.

Célia Xakriabá (PSOL-MG), também eleita deputada federal, comemorou que o tema tenha entrado no Enem e disse esperar que a discussão se torne mais presente nas escolas.

"O tema da redação do enem hoje é a valorização de comunidades e povos tradicionais no Brasil! É tempo de olhar para a nossa ancestralidade, para a nossa cultura e para nossos povos originários. Que isso entre nas escolas e no imaginário de todos os brasileiros e brasileiras", disse.

A Apib (Articulação dos Povos Indígenas do Brasil) também elogiou a escolha do tema.

"Neste momento, milhões de estudantes estão pensando e escrevendo sobre os povos originários do Brasil", disse a entidade.

A escolha do tema é comemorada, sobretudo, após ataques do presidente Bolsonaro à prova e tentativas de interferência de seu governo na elaboração da prova.

No ano passado, Bolsonaro chegou a dizer que "se pudesse interferir, não teria questão ideologizada ali" ao comentar sobre a prova do Enem.

A política indigenista do país foi uma das mais afetadas durante o governo Bolsonaro, com uma série de retrocessos na área e o aparelhamento da Funai. Presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva (PT) prometeu criar o Ministério dos Povos Indígenas.