Lideranças indígenas vão à Europa para denunciar desmatamento no Brasil

*Arquivo* BRASÍLIA, DF, 24.08.2021 - Manifestantes indígenas marcham em frente ao Congresso em Brasília. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
*Arquivo* BRASÍLIA, DF, 24.08.2021 - Manifestantes indígenas marcham em frente ao Congresso em Brasília. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Uma delegação de lideranças indígenas da Apib (Articulação dos Povos Indígenas do Brasil) vai viajar para a França e Bélgica nesta terça-feira (7) para encontrar parlamentares e denunciar o desmatamento no Brasil.

A primeira parada da viagem será em Paris, onde a primeira audiência do caso Casino está prevista para ocorrer na quinta-feira (9).

Uma coalizão de grupos indígenas brasileiros e colombianos e de entidades ambientais francesas e americanas está processando o grupo de varejo francês Casino —dono do Pão de Açúcar (GPA), no Brasil, e do Éxito, na Colômbia— por danos ambientais e violação de direitos humanos ligados ao desmatamento na Amazônia, ao comprar carne fornecida pela JBS.

A Casino afirma que não vende carne brasileira na França e não comenta processos judiciais em andamento. A companhia diz, porém, que a subsidiária do Brasil "possui uma política sistemática e rigorosa de controle da origem da carne bovina entregue por seus fornecedores".

Entre os participantes da comitiva estão os coordenadores da Apib Dinamam Tuxá, Eunice Kerexu e Kretã Kaingang, além de lideranças como Edilena Krikati. Eles vão realizar um ato na capital francesa.

No domingo (12), o grupo segue para Bruxelas para se reunir com uma comissão do Parlamento Europeu. Eles vão debater a proposta de proibição de produtos do agronegócio que consideram ligados ao desmatamento e à degradação florestal.

Se aprovada, a lei afetaria algumas das commodities mais exportadas pelo Brasil, como soja e carne bovina.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos