Lideranças Yanomami denunciam servidores que trocaram vacina por ouro

·1 minuto de leitura
  • Doses foram vendidas a 15 gramas de ouro cada;

  • Pelo menos 106 doses estiveram presentes a troca;

  • Venda acontecia nos campos de garimpo e postos de saúde.

Lideranças da Terra Indígena Yanomami relataram que 106 doses da Coronavac destinadas aos povos foram vendidas a garimpeiros em troca de ouro. A troca teria sido feita por membros da Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai), ligada ao Ministério da Saúde. 

Cada dose da Coronavac foi vendida a 15 gramas de ouro para garimpeiros nas regiões de Parafuri, Parima e Homoxi. A suspeita sobre os desvios veio à tona em uma reportagem publicada pelo "Repórter Brasil" e Agência Amazônia Real, que flagrou uma das servidoras tentando vender ouro em Boa Vista.

Leia também

Através de documento, a reportagem apurou cinco servidores como responsáveis pelo esquema de vendas das vacinas na comunidade Komamassipi, na região do Parafuri. Os 45 garimpeiros vacinados pagaram 15 gramas em cada dose. 

O Conselho Distrital de Saúde Indígena Yanomami e Ye'kuana - Condisi-YY esteve na comunidade e confirmou a troca de vacina por ouro. Segundo Júnior Hekurari Yanomami, líder do Conselho, os indígenas afirmam ter flagrado a vacinação dos invasores durante o dia e à noite, tanto nos postos de saúde das três comunidades, quanto nos acampamentos do garimpo.

Os indígenas não denunciaram antes, de acordo com Hekurari, porque eram impedidos pelos servidores de falar via rádio, único meio de comunicação na floresta.

As informações são do G1.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos