Ligação telefônica e amassado em carro ajudaram polícia a apontar síndica e amante como suspeitos por morte de empresário

O Globo
·2 minuto de leitura
carro morte de empresário_censored.jpg

RIO — O depoimento de uma testemunha que conversava ao telefone com Carlos Eduardo Monttechiari quando ele foi baleado e uma marca de amassado na lataria do carro usado pelo autor do crime levaram a polícia a apontar a síndica Priscilla Oliveira e o amante dela, Leonardo Lima, que também era funcionário condomínio London Green, na Barra da Tijuca, como suspeitos pela morte do empresário. A dupla foi presa na terça-feira (16). Carlos teria descoberto um desvio de recursos do prédio e pretendia apresentar a fraude a outros moradores.

De acordo com a 27ª DP (Vicente de Carvalho), responsável pela investigação, inicialmente o crime era apontado como latrocínio, roubo seguido de morte. O cenário mudou após o depoimento de uma testemunha que conversava com a vítima no telefone. Segundo a polícia, a partir daí, foi possível identificar o suspeito de atirar contra Carlos.

O assassinato ocorreu no dia 1º de fevereiro. Carlos estava dentro de um carro, na frente do terreno que alugava, na Vila Kosmos, na Zona Norte, quando um homem o abordou e atirou. O empresário chegou a ser hospitalizado, mas não resistiu e morreu no dia seguinte.

Outra peça-chave para a investigação foi um amassado na lataria do carro usado por Leandro para chegar até o local do crime. Segundo a polícia, o automóvel estava registrado no nome da esposa dele. Ele teria trocado placa, pneus e mudado adesivos para tentar despistar a polícia, mas a marca ajudou no rastreio. Ao ser detido, o funcionário usava o mesmo veículo.

Vítima também foi síndico do condomínio

O empresário morto também já foi síndico do condomínio onde vivia. Na Justiça do Rio, constam dois processo de autoria do London Green que remontam à sua gestão. Ambos estão relacionados a reclamações sobre despesas condominiais. Um deles, de 2017, foi extinto após o condomínio não dar continuidade a apresentação de provas no prazo estabelecido pela Justiça. Em outro processo, de 2016, houve acordo sobre parcelamento de débitos de um morador e o caso foi suspenso.

Nas redes sociais, Carlos Eduardo aparece frequentando os shoppings da região da Barra e do Recreio. Pai de duas filhas, o empresário, em sua última publicação no facebook, no dia 31 de janeiro, compartilhou uma imagem que dizia, dentre outras frases: "Prefiro ser revistado em cada esquina do que ser assaltado em cada quarteirão".

Construído em uma Área de Proteção Ambiental (APA) na Barra da Tijuca em 2008, o London Green Park & Style tem 440 apartamentos de até 180 metros quadrados, divididos em 6 Blocos com 10 andares. Só valor do condomínio é de R$ 1.650, sendo R$ 3.276 o IPTU.