Liga: dirigentes voltam atrás e pedem que liga fique de fora de nova versão da Lei Pelé

Dirigentes de clubes das séries A e B voltaram a se reunir com o deputado Felipe Carreras (PSB/PE), relator da modernização da Lei Pelé na Câmara, para poder tratar do projeto. O encontro aconteceu na terça-feira, em Brasília.

Leia: Pontos de divergência da Liga podem ser definidos por lei

Liga: clubes de fora da Libra formalizam criação de bloco para negociar direitos

Diferente da primeira reunião, na semana passada, em que levaram pontos sobre a liga para serem debatidos e incluídos no relatório, dessa vez, em reserva, eles voltaram atrás e pediram para que os temas relacionados à liga não sejam mais inclusos na nova lei.

Leia: Presidente do STJD estende seu mandato

Participaram da reunião os dirigentes dos seguintes clubes: Atlético Mineiro, Coritiba, Goiás, Sport, Náutico, CSA, Vila Nova, Avaí, Fortaleza, Sampaio Corrêa, Fluminense, Athletico—PR, Figueirense, Guarani, América-MG e CRB.

Na reunião anterior, que aconteceu no dia 14, também em Brasília, os dirigentes — a maioria de times que não fazem parte da Libra — propuseram um inciso que determinaria a diferença entre o que ganharia o primeiro e o último colocado.

“Nos três primeiras anos de constituição da liga nacional, esta deverá adotar, no mínimo, uma diferenciação na distribuição de receitas e premiações entre o primeiro e o último colocado de até 3,5 vezes no primeiro ano; 2,5 vezes no segundo ano; e 1,5 vezes para o terceiro ano e demais subsequentes à sua constituição”, afirmava a sugestão, que contrasta com a proposta atual da Libra, que fixa a diferença em seis vezes.

Outro fator tratado foi o valor destinado aos clubes das séries A e B. A Libra sugere que os clubes de segunda divisão recebam 15% das receitas e o restante fiquem com os clubes da elite. Os clubes que divergem pedem que os times da série B recebam 20%. E foi a sugestão levada a Carreras.

“As receitas obtidas e distribuídas entre as entidades de prática desportiva observarão como mínimo o repasse no percentual de 80% (oitenta por cento) para as agremiações participantes da primeira divisão e 20% (vinte por cento) para as de segunda divisão”, afirmava uma outra sugestão de inciso.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos