Ligada à crise de opiáceos nos EUA, Fundação Sackler suspende doações

A National Portrait Gallery de Londres cancelou doações, no mês passado, em meio à crise dos opiáceos nos EUA

A fundação da família Sackler, cujo nome está ligado ao escândalo pela grave crise de opiáceos nos Estados Unidos, anunciou nesta segunda-feira (25) que está suspendendo suas doações filantrópicas no Reino Unido.

A família Sackler deve sua fortuna principalmente à empresa americana Purdue Pharma, um dos laboratórios acusados como responsável pelo consumo excessivo de medicamentos opiáceos nos Estados Unidos.

"Os administradores da Fundação Sackler tomaram a difícil decisão de suspender temporariamente qualquer nova doação filantrópica, mas continuarão honrando os compromissos já assumidos", declarou a presidente da fundação, Theresa Sackler, em mensagem publicada na página da instituição.

Na semana passada, um prestigioso museu londrino, a National Portrait Gallery, rejeitou uma doação de um milhão de libras feita pela Fundação Sackler. Outras instituições culturais britânicas a imitaram, entre elas a Tate Gallery.

A presidente da fundação disse estar "profundamente triste" com a crise dos opiáceos nos Estados Unidos e negou com firmeza "as falsas acusações feitas contra a empresa e vários membros da família Sackler".

O presidente Donald Trump declarou a crise de opiáceos como emergência de saúde pública. Cerca de 2,4 milhões de americanos são viciados nestes fármacos e, como consequência, 90 pessoas morrem todos os dias.