Estônia oferece de graça 100 mil análises genéticas aos cidadãos

Berlim, 20 mar (EFE).- A Estônia vai oferecer neste ano a 100 mil cidadãos uma análise genética gratuita dentro de um programa nacional de medicina personalizada, informou nesta terça-feira o Ministério de Assuntos Sociais do país em um comunicado.

O objetivo é oferecer a todos os cidadãos uma resposta absolutamente individualizada para a atenção médica diária.

"Hoje em dia temos suficiente conhecimento sobre riscos genéticos de doenças complexas e sobre a variabilidade entre indivíduos dos efeitos da medicina para começar a usar de forma sistemática esta informação na atenção médica diária", explicou o ministro estoniano de Saúde e Emprego, Jevgeni Ossinovski.

A seu julgamento, incluir 100 mil pessoas no "biobank" estoniano promoverá o desenvolvimento da medicina personalizada e, em consequência, "contribuirá para o avanço da medicina preventiva".

O Governo estoniano destinou 5 milhões de euros (US$ 6,1 milhões) neste ano para este projeto, que fará a análise dos residentes que se apresentem como voluntários - para uma extração de sangue - entre 2 de abril e o final do ano.

O programa cumpre com restritos critérios de cibersegurança e vai ser realizado de acordo com a lei nacional de Pesquisa Genética Humana, segundo o Ministério de Assuntos Sociais.

A iniciativa, na qual também participam o Instituto Nacional de Desenvolvimento Sanitário (NIHD) e o Centro Estoniano de Genoma da Universidade de Tartu, segue o primeiro projeto estoniano neste âmbito, no qual já foram registrados os genomas de mais de 50 mil cidadãos.

Assim, o Estado estoniano contaria com análise genética de cerca de 150 mil indivíduos, o que significa mais de 11% de sua população total, de 1,3 milhão de pessoas. EFE