Lira chama invasão dos prédios dos Três Poderes de ataque à democracia e cobra punição

Presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira

(Reuters) - O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), repreendeu neste domingo a invasão das sedes dos Três Poderes por parte de apoiadores extremistas do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) e cobrou punição aos responsáveis pelos atos antidemocráticos.

"O Congresso Nacional jamais negou voz a quem queira se manifestar pacificamente. Mas nunca dará espaço para a baderna, a destruição e vandalismo", escreveu Lira, no Twitter.

"Os responsáveis que promoveram e acobertaram esse ataque à democracia brasileira e aos seus principais símbolos devem ser identificados e punidos na forma da lei", acrescentou.

Lira, que foi aliado do ex-presidente Jair Bolsonaro e apoiou sua tentativa fracassada de reeleição, ressaltou ainda que não se pode "admitir as cenas deprimentes que o Brasil é supreendido nesse momento".

"Agiremos com rigor para preservar a liberdade, a democracia e o respeito à Constituição", acrescentou.

O episódio deste domingo remete à invasão do Capitólio de Washington, sede do Congresso norte-americano, em 6 de janeiro de 2021, por apoiadores do então presidente dos Estados Unidos, o republicano Donald Trump, para tentar impedir a certificação da vitória eleitoral do democrata Joe Biden na eleição presidencial de 2020.

(Por Letícia Fucuchima)