Lisa Marie Presley indicou local onde gostaria de ser enterrada, próxima ao filho e ao pai

Quando Elvis Presley morreu, aos 42 anos — em agosto de 1977 —, o Rei do Rock foi enterrado no Cemitério Forest Hill, em Memphis, nos EUA, em cerimônia marcada por comoção popular. Em outubro daquele mesmo ano, o corpo do artista foi exumado após uma tentativa de roubo do caixão. À época, três criminosos confessaram à polícia que tinham a intenção de violar o túmulo e pedir um resgate no valor de US$ 10 milhões em troca do cadáver, para a família do astro da música.

Entrevista: Sidney Magal fala sobre melhor forma de se definir: 'Sou um cantor brasileiro, latino, que solta a franga'

Doce vingança: Música em que Shakira dá indiretas a Piqué tem melhor estreia na história do YouTube

Desde então, os restos mortais de Elvis Presley estão no famoso jardim de meditação da Mansão Graceland, casa que serviu de residência para o cantor e que hoje é um ponto turístico em Memphis, com tours guiados para os visitantes. É lá, neste cemitério privado próximo a uma piscina, que deve ser enterrado o corpo de Lisa Marie Presley, cantora e filha única de Elvis, e que morreu aos 54 anos, na última quinta-feira (12). Esse era o desejo dela, a própria deixou explicitado para a família.

No mesmo local, estão os restos mortais dos pais de Elvis e de uma avó do artista. Um dos filhos de Lisa Marie Presley — Benjamin Keough, que se suicidou aos 27 anos, em 2020 — também foi enterrado no lugar. Em um ensaio para "People Magazine", em 2022, Lisa Marie disse que sua vida foi marcada por tristeza e perdas desde a infância, destacando que a morte do filho foi um golpe devastador para ela e suas três filhas.

Lisa Marie dizia que costumava ser assombrada pelo cemitério da família ao visitar a Mansão Graceland. O fato está ressaltado de "Lights out", canção que ela lançou em 2003. Um dos versos diz: "Alguém apagou as luzes lá em Memphis. É onde minha família foi enterrada e se foi. Da última vez que estive lá, notei um espaço sobrando, ao lado deles em Memphis, no maldito gramado dos fundos".

Em entrevista naquele período, a cantora e compositora fez comentários sobre a composição: "O gramado dos fundos de Graceland é basicamente um cemitério. Quantas pessoas têm um túmulo de família no quintal? Quantas pessoas são lembradas de seu destino, de sua mortalidade, todos os dias?", ela questionou. "Todos os túmulos estão alinhados e há um lugar lá, esperando por mim, ao lado de minha avó", acrescentou, à época.

Em outra ocasião, ela voltou a falar sobre o assunto. "Não planejo nada. Tenho certeza que vou acabar lá (no cemitério particular de minha família)", ela disse. Em seguida, fez uma brincadeira: "Ou então encolho a cabeça e serei colocada numa caixa de vidro na sala (da mansão). Vou atrair mais turistas para Graceland dessa maneira", afirmou.