UE lamenta saída do Reino Unido do bloco, mas confia que Brexit será "ordenad

Bruxelas, 29 mar (EFE).- A União Europeia (UE) lamentou nesta quarta-feira a saída do Reino Unido do bloco, mas se declarou "preparada" para o processo, que se centrará em primeiro lugar nos acordos fundamentais para garantir "uma retirada ordenada".

O presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, se referiu a uma declaração dessa organização na qual informa ter recebido a carta da primeira-ministra britânica, Theresa May, ativando o Brexit e ressaltou que o bloco atuará "unido". A prioridade, apontou, será "minimizar a incerteza causada pela decisão do Reino Unido a nossos cidadãos, empresas e Estados-membros".

"Não há razão para achar que é um dia feliz aqui ou em Londres", disse Tusk, visivelmente triste, ressaltando que "a maioria dos europeus e cerca de metade dos britânicos desejavam permanecer juntos".

Ele acrescentou que "paradoxalmente, também existe algo positivo" no Brexit, já que "deixou os 27 mais determinados e unidos do que antes".

O presidente do Conselho disse que acredita que a UE continuará "determinada e unida também no futuro" e nas "difíceis negociações" que surgirão nos próximos meses. Nesse contexto, indicou que ele mesmo e a Comissão Europeia têm o "forte mandato de proteger o interesse dos 27". De acordo com ele, que o processo de negociação consistirá essencialmente em um "controle de danos" e ressaltou que o objetivo da UE é "diminuir o custo para os cidadãos, empresas e Estados-membros".

Tusk acrescentou que, para isso, a UE recorrerá a "todos os instrumentos" possíveis. Além disso, ressaltou que por enquanto "nada vai mudar" e que, até que o Reino Unido saia da União, o país continuará aplicando a legislação europeia.

Na declaração do Conselho Europeu informando ter recebido o documento de May, o grupo lamenta que Londres "abandone a UE", mas ressalta que o bloco está "preparado para o processo que virá agora".

Segundo ele, para a UE "o primeiro passo será a adoção das diretrizes" das negociações, que "estabelecerão o conjunto das posições e princípios à luz dos quais a União, representada pela Comissão Europeia, negociará com o Reino Unido". Nessas conversas "a UE atuará para preservar seus interesses", acrescenta o texto.

"Por isso, começaremos nos centrando em todos os acordos-chave para uma retirada ordenada", afirma a declaração.

Ele garantiu que a UE fará as conversas de maneira "construtiva" e que se esforçará para achar um acordo.

"No futuro, esperamos ter ao Reino Unido como um parceiro próximo", acrescenta.

Trusk lembrou que o Conselho convocou uma cúpula para 29 de abril, na qual serão tratadas as diretrizes negociadoras com o Reino Unido. Nas próximas semanas, esse documento será debatido em diferentes níveis - em reuniões de analistas e ministros, indicaram à Agência Efe fontes europeias. EFE