Venezuela diz que acusação de golpe de Estado no país "é falsa"

Caracas, 31 mar (EFE).- A Chancelaria venezuelana disse nesta sexta-feira que acusação de golpe de Estado no país por parte do governo através do Supremo "é falsa" e manifestou seu "repúdio" ao "ataque" dos governos "da direita intolerante".

"É falso que tenha havido um golpe de Estado na Venezuela, pelo contrário, suas instituições adotaram corretivos legais para deter a desviada e golpista atuação dos parlamentares opositores declarados abertamente em desacato às decisões emanadas do máximo Tribunal da República", disse a Chancelaria em comunicado.

A Corte Suprema de Justiça (TSJ) da Venezuela decidiu na última quarta-feira que assumirá as competências da Assembleia Nacional (AN, parlamento), de maioria opositora, devido à persistência do "desacato", um status que o Poder Judiciário impôs à câmara pelo descumprimento de várias sentenças.

O comunicado oficial surge como resposta à reação de um grupo de países da região que manifestaram sua preocupação pela decisão do TSJ de assumir as competências do parlamento.

"A Venezuela repudia o ataque dos governos da direita intolerante e pró-imperialista da região, dirigida pelo Departamento de Estado e os centros de poder americanos, que mediante falsidades e ignomínias pretendem atentar contra o Estado de Direito na Venezuela e sua ordem constitucional", diz a nota.

Argentina, Brasil, Canadá, Chile, Colômbia, Costa Rica, Estados Unidos, Guatemala Panamá e Peru estão entre os países do continente que manifestaram sua preocupação pela decisão do Supremo venezuelano.

A Bolívia, por sua vez, anunciou seu "apoio incondicional" ao governo de Nicolás Maduro. EFE