Lituânia prepara-se para situações de emergência

A Lituânia decidiu avançar com uma campanha para informar e preparar os habitantes do país para uma eventual situação de emergência a grande escala.

Uma das medidas é a possível adaptação de salas de concerto e escolas como abrigos temporários.

Dainius Numgaudis, diretor da escola de arte M.K. Ciurlionis: "Como edifício para segurança coletiva, podemos receber 2000 pessoas por um curto período, mas para uma proteção séria ou abrigo, podemos albergar entre 180 e 200 pessoas."

A preparação de abrigos é apenas um aspeto da segurança e proteção civil. De acordo com a ministra do interior da Lituânia, a maior parte da população tem uma preparação inadequada face a situações de emergência.

Egle Vileikiene, conselheira da ministra do Interior da Lituânia: "Metade dos residentes da Lituânia dizem saber como comportar-se numa situação de emergência, mas se aprofundamos a questão, apenas 9 por cento sabe realmente o que fazer, os outros 41 por cento acham que sabem."

Uma sondagem encomendada pelo Ministério do Interior revelou que apenas 18 por cento dos lituanos possui um "kit" de emergência e só 15 por cento discutiu com a família os planos em caso de urgência. Números que é preciso melhorar rapidamente, segundo Vilnius, face à multiplicação desafios.

Agne Bilotaite, ministra do Interior da Lituânia: "Pandemia da COVID, imigração ilegal, a guerra da Rússia na Ucrânia, a vizinhança imprevisível da Bielorrússia ou a central nuclear Astravyets, perto de Vilnius... Estes são os desafios que temos enfrentado, uns atrás dos outros."

A Lituânia quer uma população alerta e preparada para todas as eventualidades. Para começar, a página internet de informação do ministério foi modernizada e está também em curso uma atualização dos sistemas de alerta e uma marcação adequada dos possíveis abrigos em caso de emergência.