Lituânia vai construir a maior ponte ferroviária dos países bálticos

Uma placa na margem do rio Neris assinala desde esta semana o início de novas obras, em Jonava. A menos de uma centena de quilómetros da capital lituana, a localidade vai acolher a mais longa ponte ferroviária dos Estados Bálticos.

A linha Rail Baltica está desenhada para ligar por comboio a Polónia à Estónia, e ainda à Finlândia via barco ou por túnel até Helsínquia, num total de cinco Estados europeus.

EURONEWS/RAIL BALTICA
Linha ferroviária Rail Baltica vai unir Polónia, Lituânia, Letónia, Estónia e Finlândia - EURONEWS/RAIL BALTICA

Nos dias que correm, em que a guerra na Ucrânia é uma realidade presente em qualquer projeto, a obra está a assumir, nos dias que correm, uma importância económica, geopolítica e militar redobrada.

O papel da nova estrutura foi destacado precisamente, durante o discurso de inauguração, pela primeira-ministra lituana,  Ingrida Simonyte, ao afirmar que "cada nova ponte é uma nova esperança e uma nova oportunidade. É uma nova abertura. É um lembrete de que mesmo em tempos de guerra, o mundo tem de procurar criatividade e soluções criativas"..

Com pouco mais de 1,5 quilómetros de comprimento e 40 metros acima do rio Neris, a ponte ferroviária é uma estrutura tecnicamente complexa.

O projeto, que vai nascer em plena reserva natural, está avaliado em 64 milhões de euros, um montante partilhado em 15% pela Lituânia, a Letónia e a Estónia e cofinanciado até 85% por fundos europeus.

A conclusão está prevista para daqui a dois anos e meio.

A Rail Baltica, que deverá estar operacional em 2026, terá, no total, uma extensão de 870 quilómetros e, apesar de ser um projeto civil, vai, de acordo com a NATO, aumentar a mobilidade militar na região.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos