Livro conta a trajetória de 30 anos do Instituto Dara, organização carioca voltada para a solidariedade

·2 min de leitura

RIO — Há 30 anos, a médica Vera Cordeiro rifou um lençol e iniciou uma organização, hoje reconhecida como a melhor da América Latina, que realiza atividades voltadas ao combate à pobreza, além de promover a saúde e o desenvolvimento humano. Para contar essa história, que já é sabida por muitos de seus admiradores, Vera está lançando um livro, “A cobertura do mundo — Instituto Dara: transformando corações e mentes”, pela editora Batel. A obra passeia pelas três décadas do Instituto Dara (antigo Saúde Criança Renascer), organização social criada em 1991 por Vera e por um grupo de profissionais do Hospital da Lagoa. Nas páginas, a autora fala sobre o impacto das iniciativas do instituto em transformações psicológicas, comportamentais, identitárias, econômicas e sociais na vida das milhares de famílias atendidas desde o início do projeto. O livro conta ainda os bastidores das batalhas travadas pela médica, desde os primeiros anos de atendimentos e doações nas cavalariças do Parque Lage até os dias de hoje.

A narrativa do livro entremeia a vida pessoal da médica, o envolvimento de sua família e as renúncias da vida pessoal com a busca permanente de recursos, a parceria com amigos e empresas, as viagens e tudo que foi necessário para viabilizar as ações do instituto. Também aborda como cada iniciativa influenciou diretamente nas vidas dos pacientes e na de Vera ao longo dos anos. São histórias marcantes que refletem a realidade de muitos brasileiros que tiveram suas vidas transformadas.

— Não se trata de fazer caridade, aplacar as necessidades pontuais de quem tem pouco ou quase nada. O que todos nós buscamos, cada um à sua maneira, é encontrar soluções novas para velhos problemas sociais: pobreza, doença, fome, falta de acesso à educação, à habitação digna. Buscamos uma mudança sistêmica — reflete a autora.

Em um dos relatos, uma mãe, após a consulta, perguntou para a médica como iria alimentar o filho, já que estava desempregada. Em outra, perguntou se a médica tinha um emprego para oferecer. E, na mais comovente, se Vera tinha um pano para ela cobrir o filho, para que ele não adoecesse ainda mais. Como curar a pneumonia de uma criança que vivia em uma casa cheia de infiltrações e umidade?

— Acredito que uma vez que a pobreza é multidimensional, nossa metodologia multidisciplinar vai ao cerne da inclusão social. Um dia, esse trabalho, junto com outras instituições, vai se verter num movimento da sociedade civil para mudar o país. Eu não tenho dúvida disso — avalia a médica.

O livro pode ser comprado no site do Instituto Dara: www.dara.org.br/pagina-livro.

SIGA O GLOBO-BAIRROS NO TWITTER (OGlobo_Bairros)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos