Livro conta trajetória de Caetano Veloso até bandaCê e traz histórias com Ronaldo e Luana Piovani; veja fotos

Chega às livrarias em 29 de julho o livro "Lado C — A trajetória musical de Caetano Veloso até a reinvenção com a bandaCê" (Máquina de Livros), às vésperas dos 80 anos do músico. A obra foca em sua relação artística com o trio Marcelo Callado, Pedro Sá e Ricardo Dias Gomes, cerca de 30 anos mais novos.

Em dez anos, o grupo gravou três discos de estúdio — Cê (2006), Zii e zie (2009) e Abraçaço (2012) — e outros três ao vivo. Com informações inéditas, os pesquisadores Luiz Felipe Carneiro e Tito Guedes contam bastidores de gravações, a relação do artista com a imprensa e detalhes de convívio com sua equipe e parceiros.

Entre as histórias, o livro narra quando Caetano resolveu comentar notícias durante uma temporada em que testava no palco canções que pretendia gravar. Em um dos shows, resgatou a música "Três travestis", na mesma época em que Ronaldo Fenômeno foi acusado de calote em um programa com travestis em um motel no Rio. Semanas depois, o ex-jogador prestigiou sua apresentação, mas o hit foi cortado do setlist.

Também traz o episódio em que desmentiu Luana Piovani, após a atriz publicar em seu blog que a faixa "Um sonho" fora composta para ela.

Além de uma rara entrevista com Caetano, os autores recorreram a 40 personagens. Ouviram nomes como Jards Macalé, Arnaldo Brandão, Vinicius Cantuária, Arto Lindsay e Rodrigo Amarante. E ainda expõem dezenas de fotos de acervo da banda e de pessoas próximas a Caetano (algumas das imagens o leitor vê a seguir).

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos