Lixo hospitalar atinge litoral do Rio Grande do Norte

JOÃO VALADARES
·1 minuto de leitura

RECIFE, PE (FOLHAPRESS) - Sapatos, roupas, mochilas, tubos para coleta de sangue, seringas e documentos, que somam até o momento 1,5 tonelada de lixo, foram encontrados nesta semana em praias do litoral sul do Rio Grande do Norte. O material de origem desconhecida começou a chegar por meio de correntes marítimas na quarta-feira (21) e atingiu a faixa de areia de quatro municípios. Uma das áreas afetadas está localizada na praia de Pipa, um dos destinos turísticos mais famosos do estado. Voluntários e servidores da prefeitura de Tibau do Sul recolheram meia tonelada de resíduos no local. Um dos pontos atingidos é uma importante região de desova de tartarugas. Em nota oficial, o Idema (Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente) informou que ainda não há informações oficiais sobre a origem do material. O órgão entrou em contato com estados da Paraíba e de Pernambuco para verificar a ocorrência de algum incidente ambiental que possa ter ocasionado o aparecimento dos resíduos nesta região. "O órgão ambiental recomenda que os municípios afetados recolham o material o mais rápido possível, evitando que retornem aos oceanos e provoquem outros prejuízos enquanto o ocorrido não é esclarecido", diz o comunicado do Idema. As cidades atingidas são Baía Formosa, Canguaretama, Tibau do Sul e Nísia Floresta. O diretor-geral do Idema, Leon Aguiar, comunicou que foi possível identificar no material nomes de municípios de Pernambuco, a exemplo do Recife, e também de Alagoas. "Uma das hipóteses é que pode ter caído um malote da embarcação de alguma empresa que presta serviço de recolhimento de resíduos. Até agora, não sabemos o que de fato ocorreu", destaca. Nesta segunda-feira (19), também foi encontrado lixo em quantidade maior do que a usual em praias de João Pessoa.