Liz Truss, do Partido Conservador, é a nova primeira-ministra do Reino Unido

Membros do Partido Conservador escolherem Liz Truss como sucessora de Boris Johnson (Foto: Christopher Furlong/Getty Images)
Membros do Partido Conservador escolherem Liz Truss como sucessora de Boris Johnson (Foto: Christopher Furlong/Getty Images)

Liz Truss é a nova primeira-ministra do Reino Unido. Filiados ao Partido Conservador votaram e escolheram a nova líder do país, após a renúncia de Boris Johnson.

Truss recebeu 81.326 votos contra 60.399 de Rishi Sunak, ex-ministro das Finanças, que também estava na disputa.

Após o anúncio do resultado, a nova primeira-ministra britânica agradeceu à família, aos amigos e aos apoiadores e também citou o rival, Sunak, e o antecessor, Boris Johnson.

“Boris, você liderou o Brexit. Você esmagou Jeremy Corbyn, você disponibilizou a vacina (contra a covid-19). E você enfrentou Vladimir Putin. Você foi admirado desde Kiev até Carlisle”, disse Liz Truss. “Amigos e colegas, obrigada por depositarem sua fé em mim para liderar o nosso grande Partido Conservador, o mais fantástico partido político na Terra.”

Boris Johnson renunciou ao cargo em julho, depois de escândalos sobre festas promovidas pelo primeiro-ministro ao longo da pandemia de covid-19, além de denúncias de abusos sexuais por membros do alto escalão da equipe.

Quem é Liz Truss

Nova primeira-ministra do Reino Unido, Liz Truss tem 46 anos e integra a ala mais à direita do Partido Conservador.

Defensora do livre comércio, ela esteve uma década no setor privado e, nos anos 2000, começou a vida política. O primeiro cargo que ocupou foi o de vereadora no sudeste de Londres. Em 2010, se elegeu deputado pelo distrito eleitoral de South West Norfolk, no leste da Inglaterra.

Liz Truss foi a primeira mulher a ocupar o posto de ministra de Justiça e, depois, foi secretária-chefe de Tesouro.

Apoiadora do Brexit, Truss esteve também ao lado de Boris Johnson no posicionamento da país contra a Rússia em meio à invasão da Ucrânia. A política apoiou as sanções contra o país governado por Vladimir Putin e citou o presidente russo no discurso após a vitória.