Loja de brinquedos lança boneco 'patriota da invasão', mas personagem acaba preso

Uma loja de brinquedos lançou um boneco temático que ironiza os extremistas que invadiram as sedes dos Três Poderes, em Brasília, no domingo. Batizado de "patriota da invasão", o personagem usa camisa amarela da seleção brasileira, mas acaba preso após depredar prédios públicos e pedir golpe de estado.

'Patriota do caminhão': bolsonarista diz que ficou pendurado cerca de 6km e estava 'certo de que iria morrer'

Por que a Bolsa não despencou após os atos terroristas? Agentes do mercado respondem

O item foi lançado pela Corbe Toys, a mesma empresa que comercializou o boneco "patriota do caminhão", em referência ao empresário Junior Peixoto, de 41 anos. Ele tornou-se conhecido em todo o Brasil após ter se pendurado em um caminhão que furou um bloqueio na BR-232.

A nova peça foi lançada como item de colecionador, com apenas 30 unidades a serem vendidas. E também pela narrativa criada sobre ele.

Na frente da embalagem a empresa descreve os itens inclusos no pacote: "despesas para pagar fiança, depredação do patrimônio público, acampamento na frente de quartéis e casmisa da seleção falsificada".

Mas no verso do pacote vem o choque de realidade semelhante ao que os extremistas tiveram ao serem presos. "Patriota da prisão", mostra a parte traseira da embalagem.

A descrição do anúncio também mostra as consequências dos atos golpistas: "Patriotas invadem STF, Congresso e Planalto para terminar destruição iniciada no Alvorada. Mas deixam claro, golpe só se tenta aos domingos, porque são trabalhadores. Não inclui despesas para fiança".

O personagem está em pré-venda por R$ 129,90. Trata-se de um boneco articulável, feito de plástico e que mede 11 cm de altura por 5cm de largura. "Produto para coleção, somente para maiores de 18 anos", finaliza o anúncio.