Loja da Havan no PR tenta se 'camuflar' de serviço essencial, mas é fechada

Marcus Couto
·1 minuto de leitura
O empresário Luciano Hang.
O empresário Luciano Hang.

A rede de lojas Havan, do empresário bolsonarista Luciano Hang, voltou a usar a estratégia de se “camuflar” como unidade de serviço essencial, na cidade de Pato Branco, Paraná.

Leia também:

O objetivo: abrir em horário normal, apesar das restrições contra a pandemia do coronavírus.

Mas a Justiça do Paraná proibiu a loja de abrir as portas, compreendendo que a estratégia da administração se tratava de um truque para tentar driblar as limitações da cidade.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

As informações são de reportagem do portal de notícia UOL.

"Ao que tudo indica, a rede Havan passou a vender produtos como arroz e feijão em uma tentativa de reabrir como serviço essencial", diz a juíza Vivian Hey Wescher em sua decisão. "Basta uma simples consulta ao website para constatar que as ofertas anunciadas não dizem respeito a gêneros alimentícios e sim a produtos diversos, como eletrodomésticos, brinquedos, decoração, utensílios domésticos.”

Luciano Hang, um dos homens mais ricos do Brasil, é conhecido por sua posição negacionista em relação à pandemia do coronavírus – eles propaga vídeos em suas redes sociais minimizando a gravidade da mesma.

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube