Londres pede para UE resolver disputa pós-Brexit sobre Irlanda do Norte

·2 minuto de leitura
O ministro das Relações com a União Europeia, David Frost, fala sobre o Brexit na Conferência do Partido Conservador, em Manchester (AFP/Paul Ellis)

O governo britânico reafirmou nesta segunda-feira (4) que está disposto a suspender unilateralmente os acordos alfandegários pós-Brexit para a Irlanda do Norte se a União Europeia não concordar "logo" com as mudanças exigidas por Londres nessa região britânica.

Em um momento em que o país enfrenta uma grave crise de abastecimento - tanto de combustível quanto de certos alimentos -, o ministro do Brexit, David Frost, afirmou durante a convenção do Partido Conservador em Manchester que a saída da União Europeia representou um "renascimento britânico" após "o longo pesadelo do pertencimento à UE".

O ponto mais conflituoso dessa longa e complicada negociação foi como evitar restabelecer uma fronteira entre a Irlanda do Norte e a vizinha República da Irlanda - país-membro da UE.

Para isso, Londres e Bruxelas determinaram o denominado "protocolo norte-irlandês", em vigor desde 1º de janeiro, que impõe controles alfandegários entre essa região e o restante do Reino Unido.

Os dispositivos, que dificultam a chegada de alguns produtos britânicos à Irlanda do Norte, provocaram a ira da comunidade unionista norte-irlandesa, muito apegada ao seu pertencimento ao Reino Unido.

Neste contexto, o governo de Boris Johnson pediu uma profunda renegociação, firmemente rejeitada por Bruxelas, que diz estar disposta a revisar a aplicação de algumas disposições.

"Estamos trabalhando intensamente", afirmou nesta segunda-feira o porta-voz da Comissão Europeia Dan Ferrie, acrescentando que "logo" haverá uma resposta para as propostas britânicas apresentadas em julho.

Em seu discurso, Frost pediu à UE para ser "ambiciosa". "Não faz sentido fazer uma correção, quando o que precisamos é de uma mudança significativa", destacou.

"Não podemos esperar eternamente. Se não chegarmos a uma solução em breve, devemos agir (...) para abordar o impacto que o protocolo está tendo na Irlanda do Norte", disse.

Segundo Frost, esse protocolo, acordado entre ambas as partes, "prejudica o Acordo de Sexta-feira Santa", que em 1998 encerrou três décadas de um conflito violento entre os republicanos católicos e os unionistas protestantes na Irlanda do Norte.

O ministro britânico da Irlanda do Norte, Brandon Lewis, considerou que a "estrutura do protocolo não é viável" e afirmou que Londres busca "negociar uma solução vinculante e duradoura".

spe-jit-acc/mb/aa

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos