Londres reativa grande hospital de campanha contra o coronavírus

·2 minuto de leitura
Casal usando máscaras caminha por China Town, no centro de Londres, na véspera de ano novo, 31 de dezembro de 2020.

O serviço público de saúde britânico (NHS), sob forte pressão do aumento do número de pacientes com covid-19, anunciou nesta quinta-feira(31) a reativação de um gigantesco hospital de campanha levantado às pressas em Londres durante a primeira onda da pandemia em abril.

O Reino Unido, onde uma nova variante mais contagiosa do coronavírus foi identificada há duas semanas, registrou um número recorde de infecções nos últimos dias, levantando preocupações de que os hospitais ficarão sobrecarregados nas próximas semanas em algumas regiões.

"Os hospitais de Londres estão sob grande pressão devido às altas taxas de infecção por covid-19", disse um porta-voz do NHS.

“À medida que a equipe médica faz esforços adicionais e a saúde pública de Londres abre mais leitos nos hospitais da capital para cuidar dos pacientes mais graves, é essencial que as pessoas façam todo o possível para reduzir a transmissão do vírus”, acrescentou.

Nesse contexto, foi ordenado que “o hospital Nightingale de Londres seja reativado e esteja pronto para admitir pacientes se necessário”, disse ele, especificando que “esse processo já está em andamento”.

Este imenso hospital de campanha, instalado em um centro de congressos na capital em menos de dez dias para fazer frente ao crescente fluxo de pacientes durante a primeira onda do vírus, foi inaugurado no dia 3 de abril.

Criado com o apoio do exército, tinha capacidade inicial de 500 leitos, com possibilidade de expansão para 4.000, o equivalente a 10 hospitais convencionais.

Mas foi usado relativamente pouco, em parte devido à falta de profissionais de saúde disponíveis. Outros hospitais de campanha, todos chamados Nightingale, em homenagem a uma famosa enfermeira britânica, foram montados em outras partes do país.

Os de Manchester e Harrogate, no norte da Inglaterra, e Bristol, no sudoeste, estão atualmente sendo usados para tratar pacientes que não têm covid-19, explicou o porta-voz do NHS.

"O número de pacientes hospitalizados com covid está aumentando drasticamente, e os demais hospitais de Nightingale estão prontos para admitir pacientes se necessário", acrescentou.

pau-acc/pc/jc