Lorde lança EP com faixas de 'Solar Power' regravadas em maori, idioma nativo da Nova Zelândia

·2 minuto de leitura

Poucas semanas após lançar o esperado "Solar Power", a cantora neozelandesa Lorde divulgou nesta quinta-feira (9) um EP surpresa, com faixas do terceiro disco regravadas em te reo Maori, idioma indígena nativo de seu país.

"Eu não sou maori, mas todos os neozelandeses crescem com elementos dessa visão de mundo", disse a cantora em comunicado oficial de lançamento do EP. "Eu sei que sou alguém que, de alguma forma, representa a Nova Zelândia para o mundo. Então, ao fazer um álbum sobre meu lugar de origem, era importante para mim ser capaz de dizer: é isto que nos torna quem somos aqui."

As cinco canções do EP intitulado "Te Ao Mãrama" (ou "mundo da luz", em português) já estão disponíveis nas plataformas de streaming (ouça abaixo). As faixas regravadas foram “The Path”, “Solar Power”, “Stoned At The Nail Salon”, “Fallen Fruit” e “Oceanic Feeling”.

Ao portal de cultura pop "Spinoff", Lorde contou que consultou uma ampla gama de pessoas — incluindo anciãos maori — sobre o projeto. Ela não fala o idioma, e disse que, além de aprender algumas canções simples na escola, não estava bem preparada para gravar em te reo Maori. “Não era algo que fazia parte da minha vida, e isso me fazia sentir um pouco de tristeza e um pouco de culpa.”

Lorde trabalhou com tradutores para gravar as faixas, que tem como foco as maravilhas do mundo natural. "Descobri muitas coisas enquanto produzia este álbum, mas o principal foi que muitos dos valores que me guiam, no que diz respeito a proteger e escutar a natureza, vêm de princípios maoris”, afirmou. “Mesmo que você não entenda o idioma, vai se impressionar com o quão elegantes minhas letras soam.”

Drogas e música

Lorde também é estrela da capa da edição de setembro da revista Vogue. Ela conta que não faz o tipo e foge da vida de popstar desde que virou um fenômeno mundial com "Royals". "Eu sou uma pessoa muito sensível. Não fui feita para uma vida de estrela pop. Ter uma existência voltada para o público é algo que considero muito intenso", disse a cantora, explicando o porquê dos seus longos "sumiços" entre o lançamento de cada disco e turnê.

Na entrevista, a cantora que completa 25 anos em novembro, também revelou que seus discos podem ser diferenciados pelas drogas que ela estava usando quando produzia as canções: "Pure Heroine", de 2013, foi o álcool, "Melodrama", de 2017, MDMA, e "Solar Power", maconha.

A cantora também lançou um clipe exclusivo para a revista, em que faz um cover da canção "Break the Ice", de Britney Spears.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos