Louis Tomlinson, do One Direction, não deve ser acusado após briga em aeroporto

Louis Tomlinson, do "One Direction", durante show em Los Angeles 4/12/2015 REUTERS/Kevork Djansezian

LOS ANGELES (Reuters) - O cantor Louis Tomlinson, do grupo One Direction, não deve ser acusado criminalmente por uma briga com um fotógrafo no aeroporto de Los Angeles no mês passado, disseram nesta terça-feira autoridades judiciais.

O cantor britânico e o fotógrafo, que não foi nomeado, serão ao invés disto convocados para o escritório do procurador da cidade de Los Angeles para serem questionados e “assessorados sobre a lei e maneiras de evitar incidências similares no futuro”, disse o escritório do procurador em comunicado.

“Normalmente não há ação futura tomada por nosso escritório após a audiência”, informou.

O escritório do procurador disse que os dois lados serão convidados a participar de um encontro no final deste mês. O escritório informou que reserva o direito de prestar acusações em até um ano.

Tomlinson, de 25 anos e membro da boy band de sucesso, foi preso no aeroporto em 3 de março após confusão com um paparazzi que tentava tirar fotos dele e de sua namorada.

Um vídeo publicado nas redes sociais mostrava o fotógrafo no chão e Tomlinson foi registrado por agressão leve.

O advogado de Tomlinson, Martin Singer, disse à época que o cantor não tinha culpa e que o paparazzi causou a confusão.

Representantes de Tomlinson não puderam ser imediatamente contatados nesta terça-feira.