Louisiana lança operações de resgate e número de mortes por furacão Ida deve subir

·2 minuto de leitura
Homem no interior de casa que foi destruída pelo furacão Ida em Houma, Louisiana

Por Devika Krishna Kumar e Maria Caspani

NOVA ORLEANS (Reuters) - Quase todo o Estado norte-americano da Louisiana ficou sem energia elétrica nesta segunda-feira depois que um dos furacões mais poderosos a atingir a região derrubou linhas de transmissão, encheu ruas de destroços e inundou comunidades do sul de Nova Orleans.

Ao menos uma pessoa morreu na Louisiana, e mais mortes são esperadas, disse o governador John Bel Edwards à mídia, enquanto o Ida ruma ao norte como uma tempestade tropical.

Praticamente ninguém no Estado tem eletricidade, e muitos sistemas de distribuição de água tampouco estão funcionando, segundo o governador. O serviço telefônico de emergências estava indisponível em Nova Orleans, que se localiza a 160 quilômetros do local onde o Ida chegou à terra firma na condição de furacão de categoria 4.

A empresa de energia elétrica Entergy disse que os clientes das áreas mais duramente atingidas podem sofrer blecautes durante semanas.

A mudança climática está alimentando eventos mortais e desastrosos em todo o globo, inclusive furacões mais fortes e mais danosos.

"Por favor, permaneçam abrigados onde estão", alertou o Serviço Médico de Emergência de Nova Orleans aos moradores no Twitter. "Embora possam ficar tentados a sair para explorar, as condições ainda são muito perigosas".

O presidente Joe Biden declarou um grande desastre no Estado, liberando assistência federal para intensificar os esforços de recuperação.

A Agência Federal de Administração de Emergências (Fema) enviou 3.600 funcionários e 3,4 milhões de refeições à área devastada pela tempestade, disse a Casa Branca em um comunicado.

O Ida regrediu para uma tempestade tropical sobre o sudoeste do Mississippi na manhã desta segunda, de acordo com o Centro Nacional de Furacões (NHC), mas se prevê que continuará desencadeando fortes chuvas que "provavelmente resultarão em (inundações) com risco de morte".

O Ida, o primeiro grande furacão a se abater sobre os Estados Unidos este ano, chegou ao continente perto do meio-dia de domingo como uma tempestade de categoria 4 feroz sobre Port Fourchon, um pólo do setor petrolífero do Golfo, com ventos contínuos de até 240 km/h.

A chegada ocorreu exatamente 16 anos depois do furacão Katrina, uma das tempestades mais catastróficas e mortais da história do país, e cerca de um ano após o último furacão de categoria 4, o Laura, atingir a Louisiana.

O Ida chegou no momento em que a Louisiana sofre com uma ressurgência de infecções de Covid-19 que sobrecarrega o sistema de saúde estadual: estima-se que 2.450 pacientes de Covid-19 estão hospitalizados em todo o Estado, muitos em unidades de tratamento intensivo.

(Por Devika Krishna Kumar, em Nova Orleans, e Peter Szekely, em Nova York; reportagem adicional de Brian Thevenot, em Houma, Louisiana; Stephanie Kelly, em Nova York; Doina Chiacu, em Washington; Nathan Layne, em Wilton, Connecticut; e Rich McKay, em Atlanta)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos