Luan falou com Gabigol para acertar com Santos: "Falou para vir"

Contratado por empréstimo junto ao Corinthians, Luan atuou com Gabigol nas Olimpíadas de 2016. Foto: (Leandro Reis/Santos FC)
Contratado por empréstimo junto ao Corinthians, Luan atuou com Gabigol nas Olimpíadas de 2016. Foto: (Leandro Reis/Santos FC)

Contratado pelo Santos por empréstimo junto ao Corinthians, o meia-atacante Luan, que assinou até o fim deste ano (podendo renovar o contrato de cessão por mais uma temporada), confirmou que conversou com o atacante Gabigol, do Flamengo, antes de aceitar a transferência entre os clubes paulistas.

Luan, perguntado se foi difícil a escolha, respondeu que: "Não precisa de motivação (para jogar no Santos). O tamanho do clube diz tudo, amigos meus que foram ídolos aqui. Falei com o Gabigol, e ele falou para vir de olhos fechados. O Santos é um grande clube do futebol mundial. Não foi difícil (escolher), não. Na vida, temos altos e baixos. No futebol, com a maioria é assim. Uso como aprendizado para que possa melhorar. No Santos, tenho uma nova oportunidade. Quero agarrar essa chance de mostrar o melhor, com confiança, e ter um melhor futebol".

Leia também:

Sobre as poucas oportunidades de atuar pelo Corinthians, mesmo com condições físicas ideais para a prática do futebol, Luan disse não entender quais as razões o fizeram ficar de fora até do banco de reservas durante quase todo o ano: "Eu vinha jogando com o Tiago Nunes. Fiz gols. Entrou a pandemia. Quando voltamos, não mantivemos o mesmo ritmo, não fomos bem como equipe, e eu também. Com a troca de treinador, eu não jogava. Ano passado pedi para jogar, voltei fazendo gol. Ajudei a chegar na semi do Paulista. Com a troca de treinador, perdi oportunidade. Sempre estava pronto para jogar. Tive uma lesão que me atrapalhou, mas já estava treinando normal. Aí era opção, não sei se da diretoria ou do treinador. Estava 100% preparado. Não entendi por que não estava jogando. Mas isso passou".

O negócio envolvendo o jogador faz o Santos pagar apenas 20% de seu salário, além de garantir ao clube uma 'cláusula de vitrine', que dá 10% do valor de uma possível negociação caso ele seja vendido. Se o contrato de empréstimo for renovado, o percentual de obrigação do pagamento do salário sobe para 30%.