Luciano Huck sobre desigualdade: "Não vamos reduzir falando com brancos da Faria Lima"

Foto: Reprodução/Instagram (@lucianohuck)

Luciano Huck afirma que seu papel político não passa de incentivar e discursar em prol de um país melhor, mas durante o evento Exame Forum, que aconteceu nessa quinta-feira, em São Paulo, seu tom de fala foi mais do que político - e até um pouco surpreendente.

Com muito sucesso no ‘Caldeirão do Huck’, o apresentador viajou pelo brasil inteiro e falou sobre suas experiências: “A desigualdade é gritante. Se não fizermos nada, o país vai implodir. Quero ser um cidadão cada vez mais ativo para que o país se torne mais eficiente, mais afetivo e menos desigual”, avisou.

Leia também

Huck ainda foi polêmico ao dizer que: “A gente não vai reduzir a desigualdade só conversando com brancos na avenida Brigadeiro Faria Lima (em São Paulo). Favela virou paisagem e não pode.”

E continuou: “Visitei uma família subindo o rio Jurá, no Norte do país. Quando perguntei a uma criança chamada Eliana o que ela quer ser quando crescer, ela disse ‘juíza’. Hoje, ela não tem qualquer condição de conseguir, e é nosso papel construir um projeto de país para que o sonho dela se torne viável.”

Assim, o marido de Angélica ainda avisou que tinha dois caminhos a seguir: “podia fingir que não era comigo e ficar no aquário do Projac como um peixinho bem alimentado ou poderia me jogar no oceano”. E vamos te falar que ele escolheu a segunda opção decidindo apoiar movimentos cívicos.