Ludmilla decide adiar lançamento de música inédita com Marília Mendonça

Ludmilla no BET Awards 2022 e, Los Angeles, Califórnia. Ao lado, Marília Mendonça no programa
Ludmilla no BET Awards 2022 e, Los Angeles, Califórnia. Ao lado, Marília Mendonça no programa "Conversa com Bial", em 2021. (Foto: Amy Sussman/Getty Images/Reprodução/Globoplay)

Prevista para ser lançada no próximo dia 12 de agosto, "Insônia", parceria inédita entre Ludmilla e Marília Mendonça, que faleceu em novembro passado, teve o seu lançamento adiado. Nas redes sociais, a funkeira justificou que a mudança no lançamento é em respeito à memória da sertaneja, que está fazendo sucesso com o EP "Decretos Reais: Vol. 1", lançado no último dia 22 de julho, quando a cantora completaria 27 anos.

"Estamos superempolgados para vocês ouvirem essa faixa que eu, a Marília e toda sua equipe preparamos com tanto carinho. A faixa será lançado, junto com todo o meu projeto 'Numanice 2', no final do mês de agosto", anunciou Ludmilla no Twitter. A ideia da funkeira era não ofuscar o primeiro trabalho póstumo da sertaneja.

Apenas um dia após o lançamento de "Decretos Reais: Vol. 1", fãs colocaram todas as quatro músicas do álbum entre as 50 mais ouvidas do Brasil no Spotify. "Te Amo Demais", inclusive, alcançou o topo da lista e tirou "Pipoco", parceria entre Melody, Ana Castela e DJ Chris No Beat, do topo da lista. Recentemente, Marília se tornou a primeira brasileira a atingir 8 bilhões de reproduções.

Junto com o álbum póstumo, a saudosa cantora também ganhou a biografia "Marília Mendonça, Rainha da Sofrência: Biografia e Crítica", escrita pelo jornalista Bruno Ribeiro. A obra narra a história de vida de Marília e apresenta também 20 letras de músicas comentadas.

Morte de Marília Mendonça

Marília Mendonça morreu após a aeronave em que estava colidir com cabos de alta tensão da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig). O avião ia de Goiânia a Caratinga, em Minas Gerais, onde Marília se apresentaria naquela noite. Junto com ela, estavam o seu produtor, Henrique Ribeiro, e o tio e assessor, Abicieli Silveira Dias Filho, além do piloto e co-piloto do avião. Todos morreram no acidente.

Marília tinha mais de dez anos de carreira, tendo começado como compositora e depois encabeçado o fenômeno conhecido por "Feminejo", ao lado de nomes como Naiara Azevedo e a dupla Maiara e Maraisa, com quem gravou o seu último trabalho, o álbum "Patroas". Ela deixou o filho, Léo, fruto do relacionamento com Murilo Huff, que completou dois anos em dezembro passado.