Ludmillla fala com família para pagar funeral de adolescente morto em ação policial: "Covardia"

·2 minuto de leitura
A funkeira Ludmilla (Reprodução Instagram)
A funkeira Ludmilla (Reprodução Instagram)

Ludmilla se revoltou ao saber da morte do adolescente Samuel Vicente, de 17 anos, que morreu no último sábado 925) em uma ação policial em Anchieta, no Rio de Janeiro. Emocionada ao ver uma matéria sobre os familiares de Samuel, a funkeira se ofereceu para bancar o velório do jovem.

Na ação policial, duas pessoas morreram e duas ficaram feridas na região do complexo do Chapadão. O atendente de farmácia William Vasconcelos da Silva e seu enteado, Samuel Vicente, de 17 anos, foram mortos no tiroteio enquanto levavam de moto a namorada do adolescente, Camily da Silva, para a UPA receber atendimento médico. 

Leia também:

Ludmilla se revoltou ao saber da morte de mais um jovem negro, e pediu ajuda para localizar a família de Samuel. "Hoje cheguei em casa na hora do jantar e começou a passar a história do Samuel Vicente na TV. Perdi a forme e chorei com a covardia e o sofrimento que a mãe deste menino está passando. O enterro já foi adiado por falta de verba e quero ajudar essa mãe a dar um enterro digno para ele, alguém pode me ajudar a achar a família?", pediu Ludmilla, que logo atualizou o público dizendo já estar em contato com a mãe do jovem.

Só em São Paulo, um relatório elaborado pelo Comitê Paulista pela Prevenção de Homicídios na Adolescência mostra que 77% dos adolescentes de até 14 anos mortos pela Polícia Militar de São Paulo entre 2015 e 2020 são negros. O estudo aponta que no período, dentre as vítimas do sexo feminino de 15 a 19 anos, 57% eram negras. Já entre os meninos, na faixa etária, 68% eram negros.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos