Barroso, do STF, é alvo de ofensas de bolsonaristas ao tentar embarcar em Miami

Barroso sofre ofensas em aeroporto de Miami
(Reprodução)
Barroso sofre ofensas em aeroporto de Miami (Reprodução)
  • Ministro do STF Luís Roberto Barroso é alvo de ofensas antes de embarcar de Miami para Brasília;

  • Em vídeos que circulam nas redes sociais, pessoas gritam "sai do voo" e o xingam de ladrão;

  • Esta não é a primeira vez que Luís Roberto Barroso é insultado em espaços públicos.

O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Luís Roberto Barroso foi alvo de ofensas ao tentar embarcar em um voo de Miami (EUA) a Brasília na madrugada desta terça-feira (3).

Segundo um dos presentes, a confusão começou no salão de embarque do Aeroporto Internacional de Miami quando uma mulher gritou “tiraram Lula da cadeia para colocá-lo na presidência”.

Em seguida, bolsonaristas aplaudiram e começaram a gritar “sai do voo”, a vaiar o ministro e a chamá-lo de ladrão. Em vídeos que circulam nas redes sociais, é possível notar que Barroso não reage às provocações.

Segundo informações do colunista Lauro Jardim, do portal O Globo, o episódio chegou a atrasar o embarque em alguns minutos. Brasileiros que embarcaram para Brasília acreditam que o ministro desistiu de entrar na aeronave.

Esta não é a primeira vez que Barroso sofre ofensas em espaços públicos. Em novembro, ele foi abordado por bolsonaristas enquanto caminhava em Nova York, nos Estados Unidos. Na época, ele perdeu a paciência com um manifestante e disse: “Perdeu, mané, não amola”.

Ministro da Justiça se pronuncia

Após esse novo episódio envolvendo Barroso, o ministro da Justiça, Flávio Dino, definiu os envolvidos como “extremistas antidemocráticos” no Twitter e garantiu que vai tomar providências para investigar agressões e ameaças a ministros.

“Vou enviar ofício à Presidente do STF frisando que a Polícia Federal está à disposição para investigar os episódios de agressão e ameaças a ministros daquele Tribunal e de outros. São extremistas antidemocráticos, que perseguem magistrados nas ruas, aeroportos, restaurantes etc”, pontuou.