Luisa Stefani sofre lesão e abandona semi do US Open em cadeira de rodas

·2 minuto de leitura
***ARQUIVO***SÃO PAULO  A tenista Luisa Stefani é atual 47ª do ranking mundial, a brasileira mais bem colocada. Ela treina nos EUA, mas está competindo no Brasil e essa semana está treinando em São Paulo ( Foto: Karime Xavier / Folhapress) .
***ARQUIVO***SÃO PAULO A tenista Luisa Stefani é atual 47ª do ranking mundial, a brasileira mais bem colocada. Ela treina nos EUA, mas está competindo no Brasil e essa semana está treinando em São Paulo ( Foto: Karime Xavier / Folhapress) .

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A tenista brasileira Luisa Stefani, 24, sofreu uma lesão durante a disputa das semifinais de duplas femininas do US Open, nesta sexta-feira (10), e precisou abandonar a partida contra as americanas Coco Gauff e Catherine McNally.

Luisa caiu junto à rede durante o terceiro ponto do tiebreak do primeiro set e virou a perna direita —ainda não está claro o que ocorreu. Com muita dor, foi atendida e teve que sair da quadra em cadeira de rodas, amparada pela equipe médica e por sua companheira, a canadense Gabriela Dabrowski, 29.

A partida foi interrompida, mas não encerrada imediatamente. Logo a canadense voltou do vestiário com a notícia de que a brasileira não teria condições de continuar.

Esse era o maior jogo da carreira da paulista até o momento. A medalhista de bronze nos Jogos Olímpicos de Tóquio com Laura Pigossi vinha numa ótima sequência na elite do tênis mundial ao lado de Dabrowski.

Elas iniciaram a parceria logo após as Olimpíadas e emendaram três participações seguidas em finais, com o título do WTA 1.000 de Montreal e os vice-campeonatos no WTA 500 de San Jose e no WTA 1.000 de Cincinnati.

A participação de Luisa nas semifinais do US Open foi a melhor campanha de uma brasileira nas duplas femininas de um torneio do Grand Slam desde 1968. Naquele ano, Maria Esther Bueno conquistou o título com a australiana Margaret Court.

Atualmente, Luisa ocupa a 17ª posição do ranking da WTA, melhor resultado de uma atleta do país desde a criação da lista, em 1975.

Além de ter conquistado a medalha olímpica inédita para o tênis brasileiro e o maior título de sua carreira em 2021, Luisa atravessou também um ano de complicações físicas. No fim de maio, antes de Roland Garros, teve apendicite e precisou passar por cirurgia, momento ruim que foi deixado no passado pela sequência de ótimos resultados.

As jovens Coco Gauff, 17, e Catherine McNally, 19, que também se mostraram abaladas e solidárias com a lesão da brasileira, enfrentarão na decisão de domingo (12) a dupla da australiana Samantha Stosur, 37, com a chinesa Shuai Zhang, 32.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos