Lukashenko à AFP: guerra na Ucrânia deve acabar para evitar precipício 'nuclear'

Em entrevista exclusiva à AFP, o presidente de Belarus, Alexander Lukashenko, disse nesta quinta-feira (21) que Ocidente, Rússia e Ucrânia devem pôr fim ao conflito para evitar o "precipício" da "guerra nuclear".

"Vamos, vamos parar. Não devemos ir mais longe. Para além disso, é o precipício, é a guerra nuclear. A gente não pode chegar lá", afirmou Lukashenko, principal aliado da Rússia.

"Isso tem que parar, é preciso ouvir, parar esse caos, a operação e a guerra na Ucrânia", acrescentou o líder bielorrusso.

Para Lukashenko, que permitiu que tropas russas passassem por seu território para atacar a Ucrânia, cabe a Kiev aceitar concessões e ir às negociações. Esta é - segundo ele - a única saída para o conflito.

As negociações anteriores, que começaram nos primeiros dias da ofensiva russa, fracassaram, cada lado responsabilizando o outro por isso.

"Tudo depende da Ucrânia. Hoje, a peculiaridade deste momento é que a guerra pode terminar em condições preferíveis, mais aceitáveis para a Ucrânia", considerou Lukashenko.

Kiev tem de aceitar "nunca abrigar no território da Ucrânia armas que possam ameaçar a Rússia".

Lukashenko acusou o Ocidente de provocar a guerra, considerando que a ameaça que pairava sobre a Rússia era tamanha que deveria atacar seu vizinho.

"Vimos que as causas desta guerra, a causa é que, se a Rússia não tivesse se antecipado à OTAN, vocês (ocidentais) teriam se organizado e teriam atacado", frisou Lukashenko.

"Vocês estão na origem e estão prolongando esta guerra", acusou o líder bielorrusso.

alf/sg/mis-an/mar/tt

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos