Lula amplia vantagem em MG e segue líder em SP; Bolsonaro empata no RJ, mostra Datafolha

*ARQUIVO* São Paulo, SP, BRASIL, 20-09-2022: O ex-presidente Lula (PT), junto de Fernando Haddad e Marcio França, participam de encontro com representantes do setor de Turismo, no Hotel Gran Mercure. (Foto: Bruno Santos/ Folhapress)
*ARQUIVO* São Paulo, SP, BRASIL, 20-09-2022: O ex-presidente Lula (PT), junto de Fernando Haddad e Marcio França, participam de encontro com representantes do setor de Turismo, no Hotel Gran Mercure. (Foto: Bruno Santos/ Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A corrida pela Presidência nos três maiores colégios do Brasil, São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro, segue com movimentações de acordo com a nova pesquisa do Datafolha, divulgada nesta quinta-feira (22), assim como já havia ocorrido no levantamento da semana passada.

Os três estados são o centro da região mais populosa do país, o Sudeste, com 43% do eleitorado.

Nessa sondagem, feita de terça (20) a esta quinta (22), o petista Luiz Inácio Lula da Silva recuperou-se em Minas e ampliou numericamente a vantagem sobre o presidente Jair Bolsonaro (PL). O petista manteve a liderança em São Paulo, mas viu o rival chegar a um empate no Rio.

Na semana passada, o incumbente havia reduzido em sete pontos percentuais a distância para Lula em Minas, onde o governador Romeu Zema (Novo), que já foi bem próximo do presidente, lidera a campanha, segundo o Datafolha, com 48%, ante 28% do lulista Alexandre Kalil (PSD).

Agora, o presidenciável petista voltou a oscilar para cima e lidera com 46%, ante estáveis 33% de Bolsonaro no estado. Ciro Gomes (PDT) e Simone Tebet (MDB) permaneceram onde estavam.

Já no maior cesto de votos do país, São Paulo, Lula segue com pontos à frente do rival no primeiro turno. Oscilou de 43% para 41%, enquanto o presidente foi de 33% para 34%.

Bolsonaro viu seu apadrinhado na disputa estadual, Tarcísio de Freitas (Republicanos), isolar-se em segundo lugar, enquanto seu principal rival para tentar chegar ao segundo turno com Fernando Haddad (PT), o governador Rodrigo Garcia (PSDB), estacionou. O ex-prefeito paulistano oscilou de 36% para 34%.

Já no Rio, onde o explicitamente bolsonarista Cláudio Castro (PL) está dez pontos percentuais à frente do lulista Marcelo Freixo (PSB), o petista viu sua taxa recuar de 44% para 40%, enquanto o presidente oscilou de 36% para 38%. Eles agora estão empatados tecnicamente.

O Datafolha ouviu 2.000 eleitores em São Paulo, com margem de erro de dois pontos percentuais. No Rio, foram 1.526 entrevistados, e em Minas, 1.512 ouvidos. Nesses estados, a margem é de de três pontos, para mais ou menos. A pesquisa está registrada sob o número BR-04180/2022 no TSE. O índice de confiança é de 95%.