Com Tebet e Marina, Lula anuncia novos ministros; veja lista

A senadora Simone Tebet e a deputada eleita Marina Silva ficaram com Planejamento e Meio Ambiente, respectivamente; oficialização dos futuros chefes de ministérios aconteceu no CCBB, em Brasília

Lula (Foto: Reprodução)
Lula (Foto: Reprodução)

O presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), anunciou nesta quinta-feira (29) os nomes que faltavam para compor os ministérios do seu futuro governo, que começará a partir de 1º de janeiro de 2023. A oficialização dos futuros chefes de pastas aconteceu no CCBB (Centro Cultural Banco do Brasil), em Brasília.

A equipe de transição do petista já havia anunciado que seriam 37 ministérios —atualmente, no governo de Jair Bolsonaro (PL), existem 23. Veja os nomes anunciados hoje:

Ao anunciar Simone Tebet, o petista reconheceu a importância da senadora em sua campanha durante o segundo turno da disputa presidencial.

"Companheira que teve um papel extremamente importante na campanha. Ela foi adversária nossa no primeiro turno e foi uma aliada extraordinária no segundo", declarou.

Lula já tinha anunciado outros 21 nomes. Veja a lista:

Mais cedo, no Twitter, o presidente eleito afirmou que o novo governo terá muito trabalho e precisará “ter muita competência para reconstruir o país” nos próximos anos.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Líderes do governo

Além dos ministros, Lula anunciou os líderes do governo na Câmara, no Senado e no Congresso: José Guimarães (PT-CE) e Jaques Wagner (PT-BA), Ranfolfe Rodrigues (Rede-AP), respectivamente.

“Jaques e Gleisi [Hoffmann] são duas pessoas com quem tive a liberdade de dizer: vocês não serão ministros. O Wagner porque precisava dele no Senado, e a Gleisi porque o partido precisa dela", falou.

Maior número de mulheres

Serão 11 ministras no governo Lula, superando o maior número de mulheres em ministérios que o país já teve. A gestão de Dilma Rousseff (PT), segundo o portal g1, chegou a ter dez mulheres simultaneamente nos cargos.

"Eu estou feliz porque nunca antes na história do Brasil teve tantas mulheres ministras. Nunca antes. E estou feliz porque nunca antes na história do Brasil, tivemos uma indígena ministra dos Povos Indígenas”, ressaltou Lula.

Sem anunciar nomes, o petista garantiu que o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal serão presididos por mulheres.