Lula aposta em ofensiva para atrair eleitorado ligado ao setor do agro

Ex-presidente Lula quer relembrar aos eleitores ligados ao agro os benefícios obtidos pelo setor durante seus mandatos. (Foto: REUTERS/Rodolfo Buhrer)
Ex-presidente Lula quer relembrar aos eleitores ligados ao agro os benefícios obtidos pelo setor durante seus mandatos. (Foto: REUTERS/Rodolfo Buhrer)
  • Campanha de Lula foca em diminuir resistência do agro;

  • Entrevistas, alianças e propostas foram organizadas para atrair votos e apoio do setor;

  • Propostas envolvem relacionamento com o mercado externo e juros mais acessíveis.

A campanha de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) tem focado em estratégias para vencer a resistência do agronegócio à candidatura do petista e atrair votos. A ofensiva conta com entrevistas, agenda com o candidato a vice-presidente, Geraldo Alckmin (PSB), e articulações com empresas e indústrias.

Conforme divulgado por Thais Arbex, da CNN, serão reforçados os benefícios obtidos pelo setor durante os mandatos de Lula, bem como a memória do relacionamento com o mercado externo. Os aliados do petista querem mostrar que ele assumiu o compromisso em realinhar a relação com os parceiros comerciais e criar políticas de crédito e financiamento com juros acessíveis.

Uma das promessas sobre o tema foi feita nesta terça-feira (20), em entrevista ao Canal Rural, cuja gravação deve ser exibida na noite de hoje (21). Na conversa, uma das respostas mais fortes de Lula foi sobre a relação com a China, uma vez que o petista prometeu resolver o desgaste com o país nos primeiros seis meses de mandato.

A conversa do ex-presidente com a emissora voltada ao setor é considerada fundamental para esta reta final e pode se tornar um ponto de virada. “Na pior das hipóteses, o que Lula falou na entrevista vai pacificar a relação com empresários”, avaliou o candidato ao Senado Neri Geller (PP-MT), representante da campanha do PT com o agro.

A aliança com a ex-ministra do Meio Ambiente, Marina Silva (Rede), também terá um papel importante para formular uma agenda do setor com foco no desenvolvimento sustentável. “A vinda da Marina é muito positiva. Quem de nós vai defender o grileiro? O que é nosso direito ninguém vai mudar. Eleição se faz somando”, disse o senador licenciado Carlos Fávaro (PSD-MT), outro articulador do agronegócio com o PT

Geraldo Alckmin também tem conversado com as lideranças do agro. Nesta quarta, ele cumpriu agenda em Goiás e Rondônia e lembrou, nas redes sociais, os objetivos da viagem. “Nesta eleição, existem dois lados: o da democracia e o da barbárie. Será a eleição mais importante desde a redemocratização. Hoje vou ampliar a conversa minha e do presidente Lula em Goiás e em Rondônia com lideranças políticas, industriais e do agronegócio. Vamos juntos!​”, afirmou.

Veja as últimas pesquisas eleitorais para presidente: