Lula segue à frente de Bolsonaro e venceria segundo turno de 2022 por 56% contra 31%, diz Datafolha

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Foto: NELSON ALMEIDA/AFP via Getty Images
Foto: NELSON ALMEIDA/AFP via Getty Images
  • Nova pesquisa Datafolha confirma cenário de julho com Lula vencendo Bolsonaro em segundo turno

  • Em novo levantamento, petista venceria atual presidente por 56% contra 31%

  • Instituto mostra que Bolsonaro atingiu índice recorde de reprovação na sua gestão

Uma pesquisa do instituto Datafolha, divulgada nesta sexta-feira (17), mostra que as intenções de voto para a eleição presidencial de 2022 seguem no mesmo cenário do levantamento realizado em julho: o ex-presidente Lula venceria o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em um eventual segundo turno.

O levantamento, divulgado pelo jornal "Folha de S. Paulo", mostra Lula com 27% (antes tinha 26%) e Bolsonaro com 20% (antes tinha 19%). Levando em conta a margem de erro de dois pontos para mais ou pra menos, é possível dizer que a corrida está estagnada. 

Leia também

No segundo turno, o petista tem 56% (antes tinha 58%) contra 31% de Bolsonaro (antes tinha os mesmos 31%). 

Foram ouvidos 3.667 em 190 cidades brasileiras, entre os dias 13 e 15 de setembro. O nível de confiança do levantamento é de 95%.

Bolsonaro bate recorde de reprovação

Foto: SERGIO LIMA/AFP via Getty Images
Foto: SERGIO LIMA/AFP via Getty Images

O presidente Jair Bolsonaro segue com sua reprovação em tendência de alta, chegando a 53%, pior índice de seu mandato, segundo Datafolha desta semana.

Levantamento realizado nos dias 13 a 15 de setembro ouviu presencialmente 3.667 pessoas com mais de 16 anos, em 190 municípios de todo o país. A margem de erro é de dois pontos para mais ou menos.

Bolsonaro foi considerado ruim ou péssimo por 51% dos entrevistados no último levantamento, em julho, o que já era um recorde de reprovação.

A avaliação positiva do presidente diminuiu para 22%. Na pesquisa anterior, em julho, esse índice era de 24% - o pior de seu mandato. Já os que avaliam Bolsonaro como regular se manteve em 24%.

A queda na avaliação ao presidente acontece após semana tensa do governo. Após discursos golpistas no 7 de Setembro, Bolsonaro teve que recuar e divulgou uma nota pregando harmonia entre os Poderes.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos