'Eu vou voltar para recuperar o país', diz Lula em 1º ato de campanha

Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) inicia sua campanha eleitoral em São Bernardo do Campo (SP)(Foto: REUTERS/Carla Carniel)
Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) inicia sua campanha eleitoral em São Bernardo do Campo (SP)(Foto: REUTERS/Carla Carniel)

O candidato do PT à Presidência da República, Luiz Inácio Lula da Silva, iniciou na tarde desta terça-feira (16) a sua campanha eleitoral. No discurso para apoiadores, o petista afirmou que voltará ao poder para recuperar o Brasil, e foi ovacionado.

“Eu não vou dizer ‘eu’. Eu vou dizer ‘nós’ vamos ganhar a eleição para presidente da República. Nós vamos ganhar porque esse país precisa de nós.”

A declaração do petista aconteceu na fábrica da Volkswagen em São Bernardo do Campo.

Segundo o presidenciável, nada justifica ter milhares de pessoas passando fome em um país que é o “terceiro produtor de alimentos do mundo e o maior produtor de carne".

“Eu vou voltar para gente recuperar o país, para recuperar emprego. Esse país tem que ser respeitado outra vez, e não ter um presidente como esse que ninguém quer recebê-lo e ninguém quer vir aqui.”

Lula também disse que o presidente Jair Bolsonaro (PL) está tentando manipular os evangélicos. Além disso, segundo o petista, o atual chefe do Executivo é "possuído pelo demônio".

"Ele é um fariseu e está tentando manipular a boa-fé de homens e mulheres evangélicos que vão à Igreja tratar da sua fé, da sua espiritualidade. Eles ficam tentando contar mentira o tempo inteiro. Mentiras sobre o Lula, sobre a mulher do Lula, sobre vocês, sobre índios e quilombolas. Não haverá mentira e nem fake news que manterá você governando esse país, Bolsonaro", falou.

Em seu discurso, Lula falou ainda que resolveu fazer o lançamento de sua candidatura na porta de fábrica no ABC porque foi onde tudo aconteceu em sua vida.

“Foi aqui que tomei consciência política e foi por causa de vocês que acho que fui um bom presidente da República. […] É com muito orgulho que posso dizer que vocês fizeram com que eu seja reconhecido como o melhor presidente da história republicana desse país”.

No final da fala do ex-presidente, os apoiadores cantaram “olê, olê, olê, olá, Lula, Lula”.

Lula estrearia a sua campanha eleitoral na metalúrgica MWM, no bairro de Jurubatuba, zona sul de São Paulo. Mas, por questões de segurança, o evento foi cancelado na segunda (15).

O candidato ao governo de São Paulo pelo PT, Fernando Haddad, a presidente do partido, Gleisi Hoffmann, e o candidato ao Senado Federal, Márcio França (PSB), estavam ao lado do ex-presidente no palanque. Janja, esposa de Lula, e o candidato a vice, Geraldo Alckmin (PSB), não compareceram.

Gleisi classificou Lula como o “maior líder político e popular” da história do Brasil, e foi aplaudida pelos militantes.

A presidente do PT reconheceu que a campanha será "muito dura" porque, sem citar nominalmente o presidente Bolsonaro, o "adversário joga baixo".

"Quando não tem projeto para o país, ele mente, mente descaradamente. Nós precisamos ser o mutirão da verdade", pediu ela.

Já Márcio França disse que o petista é a pessoa ideal para governar o país e fazer mudança. O candidato ao Senado pelo PSB gritou “fora, Bolsonaro” e recebeu gritos da multidão.

Fernando Haddad também falou para os apoiadores. Ele exaltou Lula, afirmando que seu companheiro fez o melhor governo que o Brasil já teve.

Veja como foram as últimas pesquisas eleitorais de 2022:

Qual a data das Eleições 2022?

O primeiro turno das eleições será realizado no dia 2 de outubro, um domingo. Já o segundo turno – caso necessário – será disputado no dia 30 de outubro, também um domingo.

Veja a ordem de escolha na urna eletrônica nas Eleições 2022

  1. Deputado federal (quatro dígitos)

  2. Deputado estadual (cinco dígitos)

  3. Senador (três dígitos)

  4. Governador (dois dígitos)

  5. Presidente da República (dois dígitos)