Lula chega a Brasília na terça para dar início à transição de governo

Transição começa oficialmente hoje (7), a 55 dias da posse de Lula (REUTERS/Diego Vara)
Transição começa oficialmente hoje (7), a 55 dias da posse de Lula

(REUTERS/Diego Vara)

  • Lula estará em Brasília nesta terça-feira (8) ao lado de Geraldo Alckmin;

  • Presidente e vice eleitos devem começar amanhã os trabalhos de transição de governo;

  • Equipe usará o segundo andar do CCBB.

O presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva, estará nesta terça-feira (8) no Distrito Federal para dar início, ao lado de seu vice, Geraldo Alckmin (PSB), aos trabalhos de transição de governo. Hoje (7), o petista deve cuidar de ajustes no Orçamento de 2023 em São Paulo.

A equipe de transição ficará instalada no segundo andar do Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), local usado para esse fim desde a passagem de governo de Fernando Henrique Cardoso (PSDB) para Lula, em 2022.

Segundo Clovis Curado, secretário especial de Administração da Secretaria-Geral, o CCBB está pronto para receber a equipe. Até o momento, foram disponibilizados:

  • Dois gabinetes, um para o presidente eleito e outro para o vice-presidente eleito;

  • 15 gabinetes para demais autoridades;

  • Quatro salas de reuniões;

  • Uma sala de coworking para 39 pessoas.

Serão instalados 91 computadores, com serviços de telefonia e impressoras. Também haverá uma sala para coletivas de imprensa. “É o que tem por enquanto, e vai ter mais. A gente está dando o apoio na orientação. Hoje, eles têm plena condição de trabalhar aqui no escritório”, informou o secretário nesta segunda-feira.

O CCBB permanecerá aberto aos visitantes, mas somente pessoas credenciadas poderão acessar a área onde ficará a equipe de transição.

Os trabalhos de transição de governo começam, oficialmente, hoje, a 55 dias da posse do presidente eleito. Uma das principais preocupações da equipe é analisar meios de viabilizar as promessas de campanha de Lula, como manutenção do Auxílio Brasil em R$ 600, aumento real do salário mínimo e isenção do imposto de renda para até R$ 5 mil. Uma das alternativas pensadas é a criação de uma 'PEC (Proposta de Emenda à Constituição) da Transição'.