Lula, Ciro e Mandetta bateriam Bolsonaro no segundo turno em 2022, mostra pesquisa

Redação Notícias
·3 minuto de leitura
Former Brazilian President Luiz Inacio Lula da Silva speaks at the Metalworkers Union headquarters in Sao Bernardo do Campo, Sao Paulo state, Brazil, Wednesday, March 10, 2021, after a judge threw out both of his corruption convictions. (AP Photo/Andre Penner)
A pesquisa foi fechada nesta quarta-feira (10), quando Lula fez o primeiro discurso após recuperar os diretos políticos, e revela que o petista melhorou sua imagem. Já em relação a Bolsonaro, os dados apontam que o atual presidente é afetado pela crescente rejeição durante a pandemia no Brasil (Foto: AP Photo/Andre Penner)

Levantamento feito pela consultoria Atlas mostra que se as eleições presidenciais fossem nesta semana, Jair Bolsonaro (sem partido) perderia em um possível segundo turno para o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e os ex-ministros Ciro Gomes (PDT) e Luiz Henrique Mandetta (DEM) por ao menos oito pontos percentuais. 

A pesquisa foi fechada nesta quarta-feira (10), quando Lula fez o primeiro discurso após recuperar os diretos políticos, e revela que o petista melhorou sua imagem. Já em relação a Bolsonaro, os dados apontam que o atual presidente é afetado pela crescente rejeição durante a pandemia no Brasil.

Leia também:

De acordo com a pesquisa Atlas, numa simulação de primeiro turno das presidenciais, Bolsonaro aparece com 32,7% das intenções de voto, contra 27,4% de Lula. Na sequência, aparecem o ex-ministro Sergio Moro (9,7%), Ciro Gomes (7,5%), Luiz Henrique Mandetta (4,3%), o governador paulista João Doria (4,3%) e o apresentador Luciano Huck (2,5%). No cenário sem Lula, o ex-prefeito Fernando Haddad aparece em segundo lugar, com 15,4%.

Porém, a virada nas intenções de voto acontece em um possível cenário de segundo turno. Lula aparece com 44,9% contra 36,9% de Bolsonaro — oito pontos de diferença. Na simulação com Ciro, o pedetista também bate Bolsonaro (44,7% contra 37,5%). 

O levantamento também mostra uma boa performance de Mandetta em um eventual segundo turno. O ex-ministro da Saúde bateria Bolsonaro por 46,6% contra 36,9%. Já o tucano Doria, adversário político declaro de Bolsonaro durante a pandemia, aparece empatado com o presidente da República. A margem de erro é de dois pontos percentuais.

Recorde de rejeição

A pesquisa Atlas, que foi realizada com 3.721 entrevistas feitas por questionários aleatórios via internet e calibra as respostas por um algoritmo de acordo com as características da população brasileira, também perguntou sobre a imagem do governo Bolsonaro e outros líderes políticos.

Na pesquisa, 60% da população desaprova Bolsonaro, contra 34,8% que o apoiam. O número equivale a uma queda de três pontos percentuais na aprovação em relação à pesquisa anterior, em 21 de janeiro. 

Já o ex-juiz da Lava Jato e ex-ministro Sergio Moro, aparece com recorde de rejeição (63%), a maior desde que o Atlas começou a medir.

Lula, por sua vez, aparece com os mesmos 36% de índice positivo do presidente, alta de três pontos em relação a janeiro, provavelmente o começo do reflexo de sua reabilitação política.

Segundo o Atlas, Luiz Henrique Mandetta é o político com a imagem mais positiva entre os líderes medidos pela pesquisa (40%), seguido por Bolsonaro, que tem 36% de imagem positiva, contra 60% de negativa.