Lula volta a criticar indulto e diz que Bolsonaro 'não gosta de gente, gosta é de policial'

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva criticou neste sábado os ataques feitos pelo presidente Jair Bolsonaro e por seus apoiadores ao Supremo Tribunal Federal (STF). O petista voltou a atacar Bolsonaro e disse que o presidente incentiva o conflito enquanto o país precisa de paz. Lula também prometeu aumentar a participação feminina em um eventual governo e abordou temas como a inflação e o aumento do custo de vida.

— Ele (Bolsonaro) não gosta de gente. Gosta é de policial. Ele não gosta de livros. Gosta é de armas, de escola de tiro ao alvo, de facilitar o consumo de pistola. Quando na verdade o povo brasileiro está precisando é de paz, de livros, de escolas e de viver em clima de amor, de harmonia e de afeto.

Na terça-feira, Lula já havia dito que Bolsonaro tomou uma "decisão estúpida" ao conceder o benefício a Silveira. O petista ainda justificou que vinha mantendo-se em silêncio sobre o assunto antes para não ajudar o atual mandatário a dominar o noticiário. Neste sábado, voltou ao assunto.

— Em vez de o presidente visitar penitenciárias e dar indultos a quem merece, ele (Bolsonaro) resolveu dar indulto para o amigo dele que cometeu a barbaridade de ofender a Suprema Corte — afirmou Lula, que comentava sobre o indulto da graça concedido por Bolsonaro ao deputado Daniel Silveira (PTB-RJ), condenado pelo STF a oito anos e nove meses de prisão por atacar os Poderes e ameaçar integrantes da Corte. — O Brasil precisa de um presidente que converse com todos, com os Estados Unidos, a China. E hoje temos um zé ninguém que não fala com ninguém, que não conhece a palavra amor, solidariedade. Ele (Bolsonaro) só conhece ódio. É ódio contra a mulher, contra os negros, contra os LGBTs, os quilombolas, o PT. E agora resolveu brigar com a Suprema Corte.

Bolsonaro tem convocado seus apoiadores para participar de atos neste domingo "pela liberdade" e "união". As manifestações em grupos bolsonaristas, no entanto, são centradas na condenação do deputado Daniel Silveira pelo STF e incitam ataques contra a corte.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos