Lula defende furar teto de gastos para 'responsabilidade social': 'Paciência'

Lula na COP27, 17 de novembro, 2022 (Foto: Mohamed Abdel Hamid/Anadolu Agency via Getty Images)
Lula na COP27, 17 de novembro, 2022 (Foto: Mohamed Abdel Hamid/Anadolu Agency via Getty Images)
  • Lula disse que flutuação dos índices não ocorre "por causa das pessoas sérias"

  • Declaração foi dada durante a COP27, em Sharm el-Sheikh, no Egito

  • Vice-presidente eleito, Geraldo Alckmin, apresentou ontem a minuta da PEC da Transição

O presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) defendeu nesta quinta-feira (17) durar o teto de gastos como uma “responsabilidade social” para, assim, conseguir financiar programas sociais.

“Se eu falar isso vai cair a Bolsa, vai aumentar o dólar? Paciência”, falou o petista.

Ele destacou que a flutuação dos índices não acontece “por causa das pessoas sérias, mas por conta dos especuladores que ficam especulando todo santo dia”.

Registrada pelo jornal Folha de S. Paulo, a declaração do presidente eleito aconteceu na COP27, conferência do clima da ONU, no Egito. Lula participou hoje de uma reunião com a sociedade civil brasileira.

"Nós temos que cumprir meta de inflação, sim. Mas nós temos que ter meta de crescimento. Nós temos que ter algum compromisso de crescimento, de geração de emprego, se não, como você vai fazer para que a riqueza seja distribuída? Nós temos que garantir que vamos aumentar o salário mínimo acima da inflação", disse Lula em uma sala de convenções com representantes de ONGs.

"Quando você coloca uma coisa chamada teto de gastos tudo que acontece é você tirar dinheiro da saúde, tirar dinheiro da educação, tirar dinheiro da ciência e tecnologia, tirar dinheiro da cultura. Você tenta desmontar tudo aquilo que faz parte do social. E você não mexe em um centavo do sistema financeiro. Você não mexe um centavo daquele juro que os banqueiros têm que receber", completou.

Na quarta (16), o vice-presidente eleito, Geraldo Alckmin (PSB), apresentou a minuta da PEC da Transição. Existe a proposta de tirar o programa Bolsa Família do teto de gastos de maneira permanente.