Lula defende "novo papel" do Estado para garantir empregos

Lula fala em encontro sobre cooperativismo e economia solidária

Por Eduardo Simões

SÃO PAULO (Reuters) - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), líder nas pesquisas de intenção de voto para a Presidência da República, disse nesta quarta-feira que é necessário discutir um novo papel do Estado na garantia de emprego, em um momento em que avanços tecnológicos reduzem a necessidade de mão de obra em vários setores.

Em evento com representantes de cooperativas em São Paulo, o petista também criticou o Carteira Verde e Amarela, programa defendido pelo governo do presidente e candidato à reeleição, Jair Bolsonaro (PL), para flexibilizar exigências trabalhistas na tentativa de criar postos de trabalho.

O petista defendeu que os empregos criados precisam garantir a seguridade social aos trabalhadores e que os empreendedores também devem ter garantida a seguridade.

"O Estado vai ter que ter um novo papel. Nós vamos ter que discutir qual é o papel do Estado para garantir emprego. Qual é o papel do Estado para garantir que a sociedade possa sobreviver", disse Lula, acrescentando não ser possível "brigar com os avanços tecnológicos".

"Aqui no Brasil inventaram uma tal de Carteira Verde e Amarela, que eu não sei que tipo de emprego essa carteira gera, porque o que nós queremos é uma carteira que, não importa a cor, o que importa é que o empregador quando contrata o trabalhador, ele tenha seguridade no emprego", afirmou o petista em seu discurso aos cooperativistas.

Lula também afirmou que, caso vença a eleição de outubro, recriará em seu terceiro mandato o Ministério do Desenvolvimento Agrário e repetiu que pretende também criar novamente as pastas da Segurança e da Micro e Pequena Empresa.