Lula desembarca em Brasília para se reunir com lideranças políticas

O presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), mantém, nesta quarta-feira (9), várias reuniões em Brasília com lideranças de poderes públicos, em seu primeiro dia de trabalho na capital federal desde que venceu as eleições há dez dias.

"O país precisa de diálogo e normalidade", escreveu Lula no Twitter, ao publicar um vídeo sendo recebido pelo presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP), antigo aliado do presidente Jair Bolsonaro (PL), em sua residência em Brasília.

Além do encontro com Lira, Lula se reuniu com o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD).

Também participaram das reuniões o vice-presidente eleito, Geraldo Alckmin (PSB), e a presidente do Partido dos Trabalhadores (PT), Gleisi Hoffmann.

Lula, de 77 anos, voltou ao trabalho esta semana depois de alguns dias de descanso, após vencer no segundo turno, em 30 de outubro, o presidente Bolsonaro.

Os encontros na capital com os líderes do Congresso se enquadram nas negociações realizadas por sua equipe com legisladores para fazer mudanças no orçamento de 2023.

O governo eleito busca garantir recursos para financiar suas promessas de campanha em políticas sociais a partir de 1º de janeiro.

Estas mudanças poderiam ser implementadas através de uma Proposta de Emenda Constitucional (PEC), embora Alckmin tenha insistido na terça-feira que o caminho ainda não está definido.

Em Brasília, Lula também se reúne nesta quarta com os presidentes do Supremo Tribunal Federal (STF), Rosa Weber, e do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Alexandre de Moraes.

O líder do PT poderá acompanhar de perto a transição, um dia depois de anunciados os primeiros integrantes de sua equipe de assessores, que vão trabalhar nos próximos dois meses em escritórios do Centro Cultural Banco do Brasil, na capital.

A equipe econômica será integrada, entre outros, por André Lara Resende e Pérsio Arida, dois dos economistas que desenharam o Plano Real, que conteve a hiperinflação no Brasil na década de 1990.

A senadora Simone Tebet (MDB), terceira colocada na disputa presidencial e aliada de Lula no segundo turno, integrará a equipe de assistência social.

O entorno do presidente esclareceu, no entanto, que estas nomeações não asseguram participação no futuro governo.

rsr/msi/yow/mvv/ic