Lula deve antecipar comício no RJ para evitar mal-estar com Freixo

Líder das pesquisas de intenção, Lula esperava encerrar atos de rua no RJ, mas pode alterar agenda - Foto: REUTERS/Ricardo Moraes
Líder das pesquisas de intenção, Lula esperava encerrar atos de rua no RJ, mas pode alterar agenda - Foto: REUTERS/Ricardo Moraes
  • Lula deve antecipar comício no RJ para evitar mal-estar com Freixo;

  • Candidato ao governo ficou incomodado com possibilidade de Lula ir ao RJ e não fazer ato com ele;

  • Com o remanejo, último comício do presidenciável antes do 1º turno deve acontecer em SP.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) deve revisar sua agenda de campanha para evitar insatisfações por parte do candidato ao governo do Rio de Janeiro pelo PSB, Marcelo Freixo. A alteração permitirá que ambos participassem, juntos, de comício na tarde do próximo domingo (25).

Inicialmente, o plano era realizar o último comício no Rio, no dia 30 de setembro. Entretanto, Freixo se mostrou incomodado com a possibilidade de Lula ir ao estado no próximo domingo e não fazer um ato com ele, já que o ex-presidente participará, pela manhã, de um evento com o prefeito Eduardo Paes (PSD). Dessa forma, Lula concentrará seus últimos atos de rua na cidade no mesmo dia – na quadra da Portela, em Madureira, com Paes, e possivelmente nos Arcos da Lapa com Freixo.

A previsão, agora, é de que o comício do dia 30 seja feito em São Paulo. O estado é avaliado, pela campanha de Lula, como o responsável por definir se haverá ou não um segundo turno nas eleições presidenciais. O local onde acontecerá o evento ainda está sendo debatido.

No próximo sábado (24), o candidato ao Planalto estará na Zona Leste da capital paulista e deve participar de um encontro com artistas na segunda-feira (26). Está prevista a participação de Lula no debate da Rede Globo, no dia 29, e uma entrevista ao Programa do Ratinho no dia 22.

Estima-se que o PT bata o martelo, até hoje (19), nos detalhes finais da agenda do ex-presidente para as próximas duas semanas. Segundo O Globo, há pressão para que o candidato volte ao Nordeste, mas integrantes da coordenação de campanha acreditam que não haverá tempo suficiente.

Veja as últimas pesquisas eleitorais para presidente: