Lula discursa, promete união e fala em reconstruir o 'Brasil para todos'

Discurso aconteceu depois que o petista e o vice, Geraldo Alckmin, assinaram o termo de posse

Lula discursa após ser empossado presidente da República (Foto: Reprodução)
Lula discursa após ser empossado presidente da República (Foto: Reprodução)

Após tomar posse como presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva (PT) discursou no Congresso Nacional, em Brasília, na tarde deste domingo (1º). Ele afirmou que, junto com a população brasileira, reconstruirá o país e fará novamente “um Brasil de todos para todos”.

"O mandato que recebemos, frente a adversários inspirados no fascismo, será defendido com os poderes que a Constituição confere à democracia. Ao ódio, responderemos com amor. À mentira, com verdade. Ao terror e à violência, responderemos com a Lei e suas mais duras consequências", falou.

"Sob os ventos da redemocratização, dizíamos: ditadura nunca mais! Hoje, depois do terrível desafio que superamos, devemos dizer: democracia para sempre!", completou.

Lula destacou que a mensagem que quer passar ao país é de "esperança e reconstrução".

"Hoje, nossa mensagem ao Brasil é de esperança e reconstrução. O grande edifício de direitos, de soberania e de desenvolvimento que essa nação levantou a partir de 1988, vinha sendo sistematicamente demolido nos anos recentes. É para reerguer esse edifício de direitos e valores nacionais que vamos dirigir todos os nossos esforços."

No começo de sua fala, o presidente afirmou que a democracia foi a “grande vitoriosa” das eleições de outubro, e disse que “a decisão das urnas prevaleceu”, reconhecendo o sistema eleitoral brasileiro "por sua eficácia na captação e apuração dos votos". Ele também elogiou o Poder Judiciário, atacado insistentemente por Jair Bolsonaro (PL) e seus apoiadores.

“Foi fundamental a atitude corajosa do Poder Judiciário, especialmente do Tribunal Superior Eleitoral, para fazer prevalecer a verdade das urnas sobre as violências de seus detratores.”

Lula foi muito aplaudido pelas pessoas que estavam no espaço. “Olê, olê, olê, olá, Lula, Lula”, gritavam.

Mais cedo, a jornalista Andréia Sadi, da GloboNews, adiantou que a fala de Lula focaria na unificação, pacificação e reconstrução do país.

Covid-19

Lula afirmou ainda que o governo Bolsonaro cometeu genocídio durante a pandemia de covid-19 e que as responsabilidades serão apuradas e, os responsáveis, punidos.

"O período que se encerra foi marcado por uma das maiores tragédias: a Covid-19. Em nenhum outro país a quantidade de vítimas fatais foi tão alta proporcionalmente à população quanto no Brasil, um dos países mais preparados para enfrentar emergências sanitárias, graças ao SUS", declarou.

O discurso aconteceu depois que Lula e o vice-presidente, Geraldo Alckmin (PSB), prestaram o compromisso constitucional e assinaram o termo de posse.

Antes, Lula, a primeira-dama, Janja, Alckmin e Lu Alckmin desfilaram em carro aberto pela Esplanada dos Ministérios em direção ao Congresso Nacional.

Depois, foram recebidos pelos presidentes da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), e do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG). Lá, teve início a sessão solene de posse.